13 formas azaradas de usar o seu dinheiro

13 formas azaradas de usar o seu dinheiro

Sexta-feira 13 é dia de evitar passar debaixo da escada, carregar seu amuleto favorito e fazer aquela simpatia. Mas nem toda sorte do mundo pode te livrar de uma vida financeira azarada se você continuar gastando dinheiro como não deve. Curiosamente, alguns dos piores hábitos são adotados para… não dar sopa para o azar. A seguir, saiba quais são, tire-os da sua vida e atraia boa fortuna sem precisar envolver forças sobrenaturais.

1) Apostar na loteria e outros jogos de azar

O brasileiro acredita tanto na sorte que, sempre que pode, faz aquela “fezinha” – seja na loteria, em apostas, jogo do bicho ou máquinas caça-níqueis (estes dois últimos, aliás, são ilegais). Mas você sabia que a chance de ganhar sozinha na Mega-Sena é de, aproximadamente, 1 em 50 milhões, ou seja, 0,000002%? A probabilidade de ser atacada por um tubarão é 158 vezes maior. De ser mãe de quádruplos, 2.500 vezes maior do que acertar a sequência de seis números.

2) Deixar dinheiro em títulos de capitalização

O gerente do banco chega com aquele papo de que, além de ajudar você a poupar e ser um ótimo “investimento”, você ainda tem a chance de ganhar uma bolada em um sorteio. Não sabemos o quanto você confia em sua sorte, mas podemos garantir que, além de as chances serem baixas, de investimento esses títulos nada têm. A rentabilidade é baixa e você sequer poderá mexer naquela grana antes do prazo final, senão, o banco comerá uma boa parcela. Sem falar nas taxas. Falamos mais sobre esse assunto aqui.

3) Gastar todo seu salário (ou mais)

Não, você não pode gastar tudo o que ganha. É muito importante guardar parte da sua renda, seja para ter dinheiro guardado em casos de emergência – o que chamamos de reserva de emergência –, realizar um sonho ou garantir a aposentadoria. No método 50/30/20 (se você não o conhece, clique aqui para ver como ele pode mudar sua vida financeira), deve-se poupar 20% da renda líquida. Se 20% for demais por ora, comece aos poucos, até chegar a este percentual. Tendo uma reserva de emergência, você terá como lidar com imprevistos sem ficar no sufoco. Isso sim é não dar sopa para o azar!

4) Comprar só para ganhar ou concorrer a algo

Cena: você está passeando em uma loja de cosméticos e vê uma placa com os dizeres: “Nas compras acima de R$ 300, ganhe um brinde” ou “concorra a um prêmio”. Se você poderia ter gastado apenas R$ 100, mas se anima com o anúncio e sai gastando até chegar ao valor pedido, saiba que está atraindo muito azar para sua conta bancária. Será que esses gastos realmente fazem o brinde – ou a simples possibilidade de ganhar algo – valer a pena?

azar-dinheiro-sorte-sexta-feira-13-02

5) Contratar garantia estendida

Os adeptos dessa opção o fazem para se proteger dos efeitos de uma eventual má sorte. Ironicamente, ao longo do tempo, o valor que você paga a mais pode ser até mesmo equivalente a um novo produto. Pagar pelo conserto ou comprar um novo pode, sim, ser mais vantajoso. Na dúvida, coloque na ponta do lápis e veja se, de fato, a garantia estendida é a melhor opção. Além disso, fique atenta aos seus direitos, caso o vendedor tente impor a garantia estendida como algo obrigatório. A prática é considerada venda casada e não é permitida.

6) Atrasar contas

Ser distraída ou financeiramente desorganizada tem algumas consequências, como ter que pagar juros e multas por atraso. Afastar este revés é relativamente simples: programe-se para pagar todas suas contas em dia, seja deixando no débito automático, usando lembretes no celular ou espalhando notas autoadesivas pela casa.

7) Não resistir às promoções

Liquidações, cupons de desconto e sites de compra coletiva podem dar muita sorte para quem sabe aproveitá-los, mas também podem levar à ruína as finanças de quem não sabe se controlar. Nesta matéria você aprende a aproveitar as promoções sem acabar com a carteira afundada no infortúnio.

8) Comprar garrafas d’água

Algumas fazem propaganda de que são mais leves e saudáveis, mas, convenhamos: água é água. Desde que ela esteja própria para o consumo, não há motivo para gastar essa grana em algo que você tem em casa. Providencie uma garrafinha reutilizável e carregue-a por aí – além de econômica, essa medida é extremamente sustentável.

9) Preferir produtos “femininos”

Uma lâmina de depilação não é mais eficiente por ser rosa. Na verdade, especialmente no caso das descartáveis, a única diferença para as ditas “masculinas” é a cor. Essa é a chamada de “pink tax” (“taxa rosa”, em tradução livre), fenômeno onde as versões “femininas” de produtos e serviços custam mais do que as “masculinas” – mesmo que elas sejam iguais. Leia mais sobre aqui e veja como escapar desse infortúnio para sua carteira.

10) Usar só itens de marca

Não há nada de errado em gostar de características exclusivas de algumas marcas. O problema começa quando você se endivida para ter aquelas roupas, acessórios e afins – muitas vezes, só por causa da etiqueta, e não por realmente gostar. A prioridade não deve ser a marca mas, sim, a qualidade. Isso vale não apenas para vestuário, mas também para cosméticos e até alimentos.

11) Ou apenas os baratinhos

De nada adianta fazer careta para roupas de marca se, para economizar, você compra um monte de “pechinchas” que duram duas lavagens. Precisamos dizer que o barato pode sair caro? Mais uma vez: invista em qualidade e você não vai se arrepender.

12) Contratar um seguro que não é vantajoso

Outra medida que tomamos para afastar o azar, mas que o tiro pode sair pela culatra. Ele é mais do que necessário em diversos casos e, sim, pode salvar sua pele. Mas você precisa colocar na ponta do lápis para saber se o valor que está pagando realmente compensa. É preciso encontrar um meio termo, sem diminuir demais as coberturas para não ficar na mão, mas deixando de lado pontos específicos desnecessários no seu caso. Na dúvida, consulte um corretor de sua confiança e leia essa matéria para mais dicas.

13) Arriscar-se demais no faça-você-mesmo

O DIY é uma ótima maneira de economizar, mas de nada adianta se jogar se você não souber o que está fazendo. No final das contas, pode ser que você gaste uma grana com materiais e acabe tendo que comprar pronto de qualquer forma. Respeite seu limite.

Fotos: Fotolia

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Você gostou desse conteúdo?

Ana Paula de Araujo

Ana Paula de Araujo

Repórter, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) anapaula@financasfemininas.com.br

close