5 mitos sobre o feminismo que precisam ser desfeitos

1 de outubro de 2015 - Por

mitos-sobre-feminismo

quem ama, compartilha!

O feminismo, felizmente, tem conquistado um espaço cada vez mais importante, seja pautado por reflexões e questionamentos pertinentes a respeito da cobertura midiática, ou mesmo ampliando seu espaço dos grupos de discussões para as conversas cotidianas. O movimento é interessante, tendo em vista que a ampliação da discussão do tema é o único modo de promover a mudança de cultura.

Vale ressaltar, no entanto, que o desconhecimento o senso comum errôneo ainda é uma constante quando o tema feminismo vem à tona. Existem algumas falsas concepções que precisam ser corrigidas. Focado neste propósito, um artigo do Oxygen’s Pretty. Strong. pontua alguns aspectos importantes para desfazer mitos. Depois deste texto, você provavelmente vai enxergar o feminismo de um modo positivo.

Feministas são mulheres nervosas

Não. Feministas simplesmente querem equidade para todos. E quando você tem paixão por uma causa que é importante, é possível, sim, que se irrite com determinados contextos. Feministas têm todo o direito de sentirem-se irritadas quando o assunto é discriminação sexual, direitos femininos e violência contra mulheres. Não há nenhum problema em irritar-se ao tratar desses temas, pois as injustiças acontecem a todo momento.

O movimento feminista é moda

Dizer isso é uma tremenda injustiça. Os questionamentos e reflexões sobre os direitos das mulheres vem acontecendo desde o século XIV. Se hoje várias celebridades, como Beyoncé, Emma Watson e Amy Poehler se posicionam e dão ainda mais atenção ao tema, isso é simplesmente fantástico, pois a a voz delas ajuda a reverberar um tema que é tão importante e necessário. Isso não significa que seja somente uma moda, é sinal de que o tema é importante e a mensagem merece ser levada a mais pessoas.

feminismo

Feministas são lésbicas

Entre todas as falsas concepções sobre feministas, essa é uma das mais limitadas. Feministas são pessoas com diferentes contextos, famílias, culturas e orientações sexuais. O principal objetivo do feminismo é encontrar a equidade e compreensão para todos. Ser uma feminista não tem nada a ver com sua orientação sexual.

Feministas não podem ser femininas 

Outra mentira. O feminismo propõe a liberdade de escolha quando o assunto é estereótipo de gêneros, o que significa que você é livre para ser feminina ou não, você pode se vestir e se expressar da forma que sentir-se mais confortável. Não há problemas em aceitar gestos de gentileza, o que não está certo é ser encarada como “sexo frágil” por isso. Quer usar vestido e salto alto? Não será menos feminista por isso. Prefere tênis, calça e não se identifica com um estereótipo feminino? Também não há o menor problema. Feminismo é justamente sobre o abandono desses esterótipos padrões, é ter liberdade para expressar-se da forma como você é e não de acordo com o que esperam de você.

Feministas colocam a culpa de tudo nos homens

Feminismo não pretende colocar a culpa de tudo nos homens. As mulheres que odeiam homens são consideradas femistas, um conceito completamente diferente do feminismo e ainda pouco discutido. O femismo pode ser considerado análogo ao machismo. Ao passo que o segundo considera o homem superior à mulher, o primeiro coloca a figura feminina em situação de superioridade ao sexo masculino.

O sexismo existe, mas a intenção do feminismo é justamente derrubar os estereótipos pré-estabelecidos, como essa ideia de que homens precisam se afirmar como “machos” e que devem ser “líderes insensíveis”. Acabar com os lugares comuns em relação à mulher, enxergar a importância de empoderá-la, parar de cobrar papeis que a sociedade impõe sobre comportamento e posições, todos esses aspectos fazem parte da luta do feminismo. O conceito, no fim das contas, encoraja homens e mulheres a romper com os estereótipos que foram impostos ao longo da história.

*Artigo originalmente publicado aqui e acrescido de posicionamentos editoriais do Finanças Femininas. 

Fotos: Shutterstock

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Financas Femininas
Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

Leia em seguida

informacao-jovem-mulher

1 de abril de 2016

Carol Ruhman recebe Letícia Bahia, psicóloga da revista online AzMina, que fala sobre o trabalho de empoderamento com mulheres jovens.

plano-de-menina

1 de março de 2016

Carolina Ruhman Sandler faz parte de um banco de talentos que levará debates e workshops para meninas de 14 a 18 anos.

igualdade_genero

25 de fevereiro de 2016

A responsabilidade de cuidar da casa, dos filhos e até do marido ainda é um peso paras as mulheres.

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas