5 tarefas domésticas que os homens devem fazer, segundo Marie Kondo

23 de janeiro de 2019 - Por

marie-kondo-trabalho-domestico-homens-01

quem ama, compartilha!

*Alerta de spoiler

Assistir a série Ordem na Casa, da personal organizer Marie Kondo (Netflix), é uma viagem no mundo da organização – e como ela é fundamental para uma vida mais plena. No entanto, o que poderia ser apenas uma lição para botar ordem na vida se transformou em um verdadeiro tratado sobre a divisão do trabalho doméstico.

Salvo algumas exceções, como um casal homoafetivo e uma viúva, Kondo – que também é autora do livro A Mágica da Arrumação (ed. Sextante) – encontrou mães sobrecarregadas com as tarefas domésticas, cuidados com os filhos e trabalho remunerado no pouco tempo que sobrava.

Era comum que elas se sentissem culpadas. No primeiro episódio, a jovem Rachel, mãe de duas crianças, revela estar tão tomada com o cuidado com os dois filhos e o trabalho que mal consegue tempo para arrumar a bagunça em casa. O marido reclama e as discussões constantes estremeceram o relacionamento.

No terceiro episódio, a cabeleireira Katrina convive com o marido Douglas e dois filhos que, sob o exemplo do pai, responsabilizam a mãe por todo o trabalho doméstico. A situação é tão grave que a família sequer encontra objetos sem recorrer à mãe.

Tudo muda quando Marie Kondo mostra que não existe casa arrumada se não houver participação da família toda. Aliás, seu método – chamado de KonMari – estimula a participação de todos mesmo, inclusive as crianças. Por isso, listamos X tarefas domésticas que as mulheres não são obrigadas a fazer sozinhas.

1) Lavar, dobrar roupas e colocar no guarda-roupa adequadamente

O jeito que Marie Kondo dobra as roupas é uma de suas marcas pessoais – e ela faz questão de ensinar o método a todos os personagens. Mas, antes de dobrar, é preciso lavar. A princípio, quase todos os maridos que participam da série se mostram resistentes a limpar suas próprias roupas, pior ainda guardar. Se as roupas são deles, por que a responsabilidade pela limpeza e organização delas deve ficar nas mãos das mulheres?

2) Arrumar os itens da cozinha

Existe um ditado da internet que diz que “O lugar de todo mundo é na cozinha porque lá tem comida”. Ora, se todos comem, por que apenas a mulher deve se responsabilizar pelo cardápio e organização dos utensílios?

3) Ensinar tarefas para crianças

Durante os episódios, Marie Kondo orgulhosamente mostra suas filhas dobrando roupas e conta como ensinou as pequenas a participarem das tarefas domésticas. Contudo, além das lições práticas, a série deixa claro que um dos melhores métodos de aprendizagem é o exemplo. O pai que não demonstra preocupação com o trabalho doméstico não incentiva os filhos a se importarem com isso. Assim, a responsabilidade sobra para quem? Acertou quem disse: para a mãe.

4) Permitir-se sentir

Marie Kondo com Wendy e família

No método KonMari, apenas são mantidos na casa os objetos, roupas e afins que trazem o que Marie chama de “sparkle joy”, um tipo de alegria instantânea apenas ao segurar o objeto. Desta forma, para seguir o método, é preciso acessar seus sentimentos e entrar em contato com as memórias que cada objeto traz.

Nossa cultura pouco incentiva os homens a entrarem em contato com seus sentimentos. Porém, a série mostra a experiência revigorante que os participantes do sexo masculino tiveram ao acessarem essa camada de si mesmos. Relembrar o dia do casamento, um ente querido ou mesmo o nascimento do filho permitiram maior sensibilidade e empatia pela parceira.

5) Tomar cuidado com os excessos

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Ron and Wendy Akiyama (@ronandwendyakiyama) em

No segundo episódio, é difícil decidir se o maior choque é a quantidade gigantesca de roupas de Wendy (foto acima) ou a coleção de cartões de basebol de Ron, seu marido – que até então se recusava a cuidar da casa junto a sua esposa. Até olhar, de fato, para sua coleção, Ron apenas apontava os excessos de sua esposa ao comprar roupas, sem perceber que ele também tinha uma tendência acumuladora.

Aliás, além de mostrar na prática a desigualdade na divisão do trabalho doméstico, Ordem na Casa também mostrou o quão consumista podemos ser. Carol Sandler explica esse fenômeno e propõe um desafio no vídeo a seguir!

Gostou do vídeo? Clique aqui e veja muito mais conteúdo em nosso canal no YouTube!

Matéria atualizada dia 23/01/2019 às 14h45.

Fotos: Denise Crew/Netflix e TENOR

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Ana Paula de Araujo
Ana Paula de Araujo
Repórter, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) anapaula@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas