Bolsa fecha com 101 mil pontos com bons resultados de vacina contra COVID-19

15 de julho de 2020 - Por

Bolsa fecha com 101 mil pontos com bons resultados de vacina contra COVID-19

quem ama, compartilha!

Este texto faz parte da cobertura do Finanças Femininas para traduzir o que está acontecendo com o mercado financeiro durante a pandemia do coronavírus. Ajudamos você a se informar com uma linguagem simples, sem economês e sem pânico!

Ibovespa: +1,34% (101.790 pontos)

Dólar: +0,66% (R$ 5,38)

Casos de coronavírus: 1.931.204 confirmados e 74.262 mortes*

Resumo:

  • Resultado positivo em possível vacina contra coronavírus impulsiona Bolsa para seu pico desde o início da pandemia;
  • ações da Sabesp valorizam depois da sanção do novo marco do saneamento básico;
  • Governo estima que a economia brasileira terá queda de 4,7% em 2020;
  • nova linha de crédito da Caixa usará saque-aniversário do FGTS como; garantia
  • afastamento temporário afeta mais trabalhador pouco qualificado.

Boas novas no combate ao coronavírus impulsionaram o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira, ao seu pico desde o início da pandemia, declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 11 de março, nesta quarta-feira (15).

A farmacêutica americana Moderna apresentou resultados positivos na revista científica The New England, mostrando que todos os 45 voluntários que participaram da primeira fase de testes da vacina apresentaram imunidade contra o vírus. A empresa foi a primeira a fazer testes em seres humanos e já está com a segunda fase em andamento, testando a vacina em 600 pessoas. Já a terceira fase deve começar em 27 de julho, com 30.000 indivíduos.

Na mesma esteira, aumenta a expectativa sobre os testes da potencial vacina desenvolvida pela britânica AstraZaneca em parceria com a Universidade de Oxford, que deve publicar os detalhes da primeira fase de testes nesta quinta-feira (16).

As notícias sobre potenciais vacinas contra a COVID-19 alimentam a esperança do mercado financeiro de que a pandemia passe mais rapidamente – e, com isso, a economia possa voltar aos trilhos no mundo inteiro. Para que se tenha ideia, o clima esquentou tanto que o Ibovespa chegou aos 102 mil pontos por volta das 16h50.

Por pouco a escalada de tensões entre China e Estados Unidos não azeda o clima positivo das bolsas globais. No meio do dia, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, anunciou restrições de vistos a funcionários de empresas chinesas de tecnologia, o que inclui a Huawei. Apesar de não afetar o índice, esse fato contribuiu para que o dólar seguisse o dia em alta por aqui.

Falando em Brasil, as ações da Sabesp tiveram forte alta depois que o presidente Jair Bolsonaro sancionou o novo marco do saneamento básico, que abre espaço para iniciativa privada.

Bolsa fecha com 101 mil pontos com bons resultados de vacina contra COVID-19

Governo estima que a economia brasileira terá queda de 4,7% em 2020

Para a equipe do Ministério da Economia, a estimativa para a economia brasileira em 2020 segue sendo de retração de 4,7%, informou nesta quarta-feira a Secretaria de Política Econômica (SPE) por meio da publicação Boletim Macrofiscal do orçamento de 2020.

Essa é a mesma previsão divulgada em maio. Já em março, no início da pandemia do novo coronavírus, o ministério previa estabilidade no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

O mesmo boletim informou a expectativa da SPE para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), índice oficial de inflação do País, em 2020: 2,09%.

Nova linha de crédito da Caixa usará saque-aniversário do FGTS como garantia

A Caixa Econômica Federal (CEF) lançará uma nova linha de empréstimo para pessoas físicas, cuja garantia será o saque-aniversário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), informou nesta quarta-feira o vice-presidente de Varejo da Caixa, Celso Leonardo Derziê de Jesus Barbosa.

De acordo com Barbosa, essa será uma alternativa ao empréstimo consignado e terá taxa de juros baixa – apesar de não ter detalhado quanto.

Afastamento temporário afeta mais trabalhador pouco qualificado

Trabalhadores de baixa escolaridade, ligados aos setores de serviço e varejo, foram os mais afetados com afastamentos temporários do trabalho por causa da pandemia do coronavírus. A revelação veio de um levantamento da da consultoria IDados, usando dados da Pnad Covid, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com os números da Pnad Covid, 19 milhões de pessoas estavam afastadas temporariamente do trabalho em maio deste ano. Destas, 9,7 milhões estavam sem remuneração.

O IDados detalhou esses número e descobriu que, entre os vendedores ambulantes, 41% estavam sem exercer a ocupação em maio – destes, 90% estavam sem receber renda. Encontra-se os mesmos percentuais entre cabeleireiros e manicures.

*Até o fechamento do texto. Fonte: levantamento feito por jornalistas de G1, O Globo, Extra, Estadão, Folha e UOL a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde

Fotos: AdobeStock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Ana Paula de Araujo
Ana Paula de Araujo
Repórter e produtora, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) [email protected]

Leia em seguida

Ações dos grandes bancos têm desvalorização e arrastam Bolsa para o vermelho

4 de agosto de 2020

Itaú liderou as quedas na Bolsa e 66 das 75 ações do Ibovespa fecharam em baixa. O que houve para quase todo mundo cair junto? Entenda de um jeito simples!

Bolsas do mundo fecham no azul, mas Ibovespa fica no zero a zero

3 de agosto de 2020

Crescimento da indústria na zona do euro e China impulsionaram as bolsas do mundo, mas o Ibovespa amargou o zero a zero. Entenda o motivo.

Bolsa cai 2%, mas fecha o mês no azul pela quarta vez consecutiva

31 de julho de 2020

Apesar da queda do dia, esperança com uma possível vacina contra o coronavírus ajudou julho a fechar em alta. Saiba o que mais rolou no mercado financeiro.

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas