Bolsa sobe com promessas de Guedes e fala de Maia nesta quinta (6)

6 de agosto de 2020 - Por

Bolsa sobe com promessas de Guedes e fala de Maia nesta quinta (6)

quem ama, compartilha!

Este texto faz parte da cobertura do Finanças Femininas para traduzir o que está acontecendo com o mercado financeiro durante a pandemia do coronavírus. Ajudamos você a se informar com uma linguagem simples, sem economês e sem pânico!

Ibovespa: +1,29% (104.125 pontos)

Dólar: +0,93% (R$ 5,34)

Casos de coronavírus: 2.873.304 confirmados e 97.692 mortes*

Resumo:

  • Falas de Guedes e Maia animam mercado financeiro, impulsionando a Bolsa;
  • Brasil chega a 97 mil mortes por coronavírus;
  • desemprego sobe para 13,3% em junho, maior taxa desde maio de 2017;
  • com Selic a 2% a.a., poupança rende apenas 0,12% ao mês;
  • pandemia afetou mais a renda de pretos e pardos, aponta pesquisa.

Com pequena ajuda do cenário externo e palavras doces do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do ministro da economia, Paulo Guedes, a Bolsa fechou esta quinta-feira (6) em alta.

Nos Estados Unidos, os dados sobre o seguro desemprego ajudaram a acalmar um pouco os ânimos. Foram 1,186 milhão de pedidos em uma semana, menos do 1,415 milhão que era esperado.

Por aqui, depois de dias falando sobre a volta de uma “nova CPMF”, que vinha deixando o mercado financeiro sem paciência, Guedes decidiu dar aos investidores o que eles queriam ouvir: prometeu que o governo anunciaria a privatização de “três a quatro” grandes estatais brasileiras nos próximos dois meses.

Já Maia defendeu o teto de gastos, afirmando que romper com o limite colocaria por terra reformas que sequer saíram do papel, como a tributária e administrativa.

Além das falas, outros fatores aumentaram a vontade dos investidores de arriscar. Um deles foi a queda da taxa Selic, anunciada ontem, conforme contamos aqui. Ela que baliza a rentabilidade de investimentos de renda fixa – desta forma, quem possui perfil arrojado acaba indo para a renda variável para aumentar os ganhos. No entanto, vale ressaltar que este é um jogo que deve ser feito com cautela, visto que, junto ao rendimento, também vêm os riscos.

Na nota, o Comitê de Política Monetária do Banco Central deixou aberta a possibilidade de novos cortes na taxa básica de juros, mesmo que apenas uma frestinha. Seguiremos de olho.

Bolsa sobe com promessas de Guedes e fala de Maia nesta quinta (6)

Desemprego sobe para 13,3% em junho, maior taxa desde maio de 2017

Oficialmente, o Brasil tem 12,8 milhões de pessoas desempregadas, com a taxa de desocupação subindo para 13,3% trimestre no encerrado em junho – são 8,9 milhões de postos de trabalho a menos em apenas 3 meses, em meio à pandemia do coronavírus e seus impactos econômicos. As informações são da da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua), divulgada nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Desta forma, houve alta de 1,1 ponto percentual na taxa de desemprego, ante o trimestre encerrado em março (12,2%) e de 1,3 ponto percentual em relação ao mesmo trimestre de 2019 (12%). Estamos falando da maior taxa de desemprego desde o trimestre terminado em maio de 2017, que também foi de 13,3%.

Também nesta quinta-feira, o Ministério da Economia informou que recebeu 570.543 pedidos pedidos de seguro-desemprego, na modalidade trabalhador formal, em julho. Isso representaria uma queda de 8,8%, na comparação com julho do ano passado (625.605 solicitações), e de 12,7%, em relação a junho deste ano (653.174 pedidos).

Com Selic a 2% a.a., poupança rende apenas 0,12% ao mês

Se antes a poupança já estava na lanterninha da rentabilidade, a situação ficou ainda pior com o novo corte da taxa Selic para 2% ao ano. Agora, a aplicação queridinha do brasileiro renderá apenas 0,12% ao mês e 1,4% ao ano, de acordo com cálculos da Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade (Anefac).

Isso acontece por causa da regra em vigor desde 2012. Ela determina que, quando a taxa básica de juros está abaixo de 8,5% a.a., a rentabilidade da caderneta de poupança deve ser de 70% da Selic mais a Taxa Referencial (TR, que está em zero desde 2017).

Desta forma, segundo a Anefac, se você deixar R$ 10 mil por 12 meses na poupança, terá um rendimento de R$ 140, totalizando R$ 10.140.

Pandemia afetou mais a renda de pretos e pardos, aponta pesquisa

Pretos e pardos sentiram mais fortemente o impacto da crise econômica provocada pelo coronavírus do que os brancos, de acordo com um levantamento feito pelo Datafolha a pedido do C6 Bank. A pesquisa mostrou que 61% dos pretos e pardos do país tiveram a renda familiar reduzida, contra 54% dos brancos.

Além disso, 48% dessa população precisou adiar pagamentos ou renegociar dívida, contra 40% dos brancos.

A pesquisa também mostrou que a perda de renda foi mais acentuada entre famílias de mais baixa renda. Enquanto 61% das classes D e E afirmam ter tido seus ganhos reduzidos e 60% na classe C, a fatia foi de 50% nas classes A e B.

*Até o fechamento do texto. Fonte: levantamento feito por jornalistas de G1, O Globo, Extra, Estadão, Folha e UOL a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde

Fotos: AdobeStock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Ana Paula de Araujo
Ana Paula de Araujo
Repórter e produtora, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) [email protected]

Leia em seguida

Nova onda de COVID-19 e escândalo de bancos derrubam Bolsa nesta segunda (21)

21 de setembro de 2020

A nova onda de coronavírus nos EUA e Europa e suspeita de lavagem de dinheiro em bancos globais fizeram um grande estrago na Bolsa. Entenda.

Bolsa cai aos 98 mil pontos, mas semana fecha perto do zero a zero

18 de setembro de 2020

A Bolsa foi arrastada pela onda negativa dos índices globais, mas conseguiu fechar a semana empatada. O que houve? Saiba tudo que rolou nesta sexta-feira (18)!

Bolsa se descola de perdas internacionais e fecha em leve alta

17 de setembro de 2020

De ressaca da decisão do banco central dos EUA, bolsas do mundo inteiro caíram, menos do Brasil. Descubra quais ações salvaram a pátria!

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas