X

Cartão de crédito: como fazer o controle de gastos e não estourar o orçamento

O cartão de crédito é a forma de pagamento mais utilizada para 73% dos brasileiros que realizam compras online, segundo o levantamento realizada pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) em parceria com a Toluna. O estudo foi realizado após o início do isolamento social adotado para conter a disseminação do novo coronavírus.

Nas lojas físicas, o cartão de crédito também lidera a forma de pagamento (43%), seguido do débito (34%) e dinheiro (18%).

O que você vai ler:

  • Por que gastamos tanto no cartão de crédito?
  • Quando usar o cartão?
  • Vale a pena pagar boletos no cartão de crédito?
  • Como fazer o controle de gastos

A praticidade do cartão de crédito pode ser vantajosa na hora das compras, afinal em poucos segundos você adquire o item desejado sem grandes complicações. No entanto, tanta facilidade pode resultar em uma fatura altíssima – muitas vezes você gasta sem perceber, pois não vê o dinheiro saindo da carteira – desestabilizar o orçamento e gerar uma grande dívida.

Em meio à crise decorrente da pandemia do novo coronavírus, o percentual de famílias que não conseguirão pagar suas contas em atraso – e, portanto, ficarão inadimplentes subiu para 10,6%, ante 9,9% em abril, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) divulgada pela Confederação Nacional de Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Já entre os débitos em aberto, o cartão de crédito é o grande vilão das famílias e aparece em primeiro lugar como principal tipo de dívida para 76,7% dos brasileiros.

Quando usar o cartão de crédito?

Com muitas demissões, redução da jornada e salário, a pandemia do novo coronavírus impactou a renda das famílias, portanto antes de qualquer gasto é fundamental entender a nova realidade financeira.

“As pessoas precisam entender qual o novo padrão de ganho. Temos mais de dois meses de isolamento e já dá para ter uma ideia de qual seria o novo modelo de receitas e despesas, porque não vamos mais ao cinema, jantar fora e não tem mais festa de aniversário para comprar presente, por exemplo. Em compensação, o supermercado e conta de luz aumentaram, então é importante compreender isso”, avalia Letícia Camargo, planejadora financeira CFP pela Planejar.

O orçamento com as receitas e despesas vai possibilitar planejar os gastos com o cartão de crédito, de acordo com a sua realidade financeira.

“Normalmente as pessoas não tem um orçamento e por isso não tem nenhuma referência para saber quanto podem gastar. Como o cartão é um gasto mais abstrato, porque não percebemos o dinheiro saindo da conta, a propensão de gasto além do que pode é maior”, diz Fernanda Prado, planejadora financeira.

Para quem tem dificuldade em acompanhar o orçamento, Prado recomenda evitar usar o cartão de crédito.“Utilize o dinheiro e deixe o cartão para alguma situação emergencial, por exemplo, quando a geladeira quebrar ou precisar pagar algo relacionado a saúde”, orienta.

Vale a pena pagar boletos no cartão de crédito?

Alguns cartões de crédito oferecem a possibilidade de pagar contas de energia, água e telefone. Pode ser um recurso interessante para as pessoas que estão sem dinheiro e precisam ganhar tempo para quitar os boletos, mas é necessário conhecer as implicações dessa medida antes de utilizá-la.

Um dos grandes problemas de pagar boletos com o cartão de crédito é que se você não tiver dinheiro para pagar a fatura cheia no mês seguinte, vai acumular um débito ainda maior e com juros altíssimos. Isso se torna uma bola de neve e você acabará endividada.

Para se ter uma ideia, a taxa de juros total do rotativo do cartão de crédito passou de 322,6% para 326,4% em março de 2020. “Não adianta nada adiar o pagamento da conta e não conseguir pagar a fatura integral depois. Até porque você estará trocando uma conta com juros mais baixos pelo cartão de crédito”, afirma Prado.

Como fazer o controle de gastos no cartão de crédito

A praticidade das compras online e os inúmeros anúncios da internet podem incentivar o consumismo e, se a pessoa não tiver controle de gastos, pode estourar a fatura do cartão de crédito. Diante disso, a dica para não prejudicar o orçamento é parar e refletir se você realmente precisa do item e como estão as suas finanças.

Prado recomenda colocar uma etiqueta no cartão de crédito com a seguinte questão: eu posso pagar?. “Quando você pegar o cartão, vai se deparar com aquela pergunta e racionalizar antes de comprar”, diz.

Outra recomendação é evitar navegar pelos sites que você gosta e costuma comprar, também vale cancelar o email marketing das suas marcas favoritas para não cair na tentação das compras por impulso.

Para ter controle dos gastos com o cartão de crédito, Camargo aconselha fazer o acompanhamento constante do orçamento. “Faça a atualização sempre que fizer uma compra e preste atenção se vai cair na fatura desse mês ou no próximo”, diz.

“Precisamos ter disciplina. Você sabe que precisa fazer isso para controlar os gastos e ter saúde financeira. Pense que você está trocando coisas supérfluas agora por um objetivo maior lá na frente, como não se endividar em um primeiro momento, fazer uma especialização, viajar, comprar uma casa ou ter uma aposentadoria”, conclui.

Fotos: AdobeStock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Carol Nogueira: Repórter do Finanças Femininas, fã de David Bowie e John Coltrane. Passa o tempo livre pesquisando textos da Sylvia Plath e assistindo séries na Netflix. Fale comigo! :) <a href="mailto:carolnogueira@financasfemininas.com.br">carolnogueira@financasfemininas.com.br </a>
Veja também
Disqus Comments Loading...