Como falar sobre dinheiro com seus amigos

18 de julho de 2019 - Por

dinheiro-com-amigas

quem ama, compartilha!

É comum dividirmos a conta do bar, mas você consegue falar abertamente sobre dinheiro com suas amigas?Conversar sobre salários e reservas financeiras, investimentos e passeios mais caros pode ser algo difícil no começo. Por mais que a renda familiar tenha crescido nos últimos anos, o custo de vida também subiu. O resultado? O aumento das dívidas – que nós ainda não sabemos como abordar entre amigas.

Nós, mulheres, ainda nos sentimos desconfortáveis em falar sobre dinheiro, por considerarmos um assunto incômodo ou muito pessoal, propagando assim um ciclo de maus gastos. Este artigo da Vogue mostra como começar essa conversa tão importante. Confira!

Sextou sim, dinherou não!

 

Hábitos financeiros não estão imunes à pressão de amigos e colegas – quantas vezes você foi forçada a ficar um pouco mais, só para “mais um drink”, e terminou gastando dinheiro com uma corrida de táxi mais cara em tarifa 2, pois estava tarde? É crucial que você passe o seu tempo com aqueles que, financeiramente, pensam mais parecido com você, ou que cultivem hábitos que te inspirem a cuidar do seu dinheiro.

Jennifer Kruger, do Centro de Investidores Park Avenue na Fidelity Investments, nos Estados Unidos, recomenda começar falando um pouco sobre si mesma. Peça a opinião de uma amiga sobre seus planos para comprar algo de grande valor, por exemplo. Falar em voz alta sobre o que deseja pode te ajudar a determinar se eles são uma boa ideia ou não.

Amiga, estou quebrada

Todos nós temos aquela amiga que precisa ir ao restaurante que acabou de inaugurar – e você é uma convidada especial. Mas, se você não consegue encaixar esse gasto no seu orçamento, o melhor, de acordo com Sallie Krawcheck, fundadora da Ellevest – plataforma de investimento para mulheres – seria negar o convite educadamente e perguntar se não poderiam ir no próximo mês, quando você pode se programar com antecedência para gastar um pouco mais de dinheiro.

A especialista em finanças pessoais da NerdWallet, Kim Palmer, acrescenta que quanto menor o orçamento, maior é o estresse. O perigo é que esse estresse pode levar a compras impulsivas ou até mesmo fazer você deixar de pagar algumas contas. Para se sentir melhor com as suas finanças, faça o que é contraintuitivo, diz Palmer.

Aproveite a companhia das amigas sem nenhuma tensão financeira, vão para uma caminhada em um parque, em contato com a natureza, façam uma refeição em casa ou tomem uma xícara de café e, de quebra, assistam as suas séries favoritas. Ao se divertir sem precisar gastar em restaurantes caros ou bares, você pode acabar descobrindo quem são seus verdadeiras amigas.

Quem quer dinheiro?

Se você notar uma amiga constantemente pagando algo para outros ou sentindo-se pressionada a gastar demais, você deve dizer alguma coisa. “Isso exigirá uma conversa difícil, mas é importante ser honesto com sua amiga e expressar sua preocupação”, diz Krawcheck.

Ela fala por experiência quando diz que emprestar dinheiro a amigos e familiares é arriscado. Certifique-se de que, antes que seus amigos emprestem dinheiro para qualquer um que peça, eles podem cobrir suas próprias dívidas. Faça com que eles percebam que o “emprestar dinheiro” está sendo um “dar de presente” – e que eles precisam estar bem em não ter o retorno deste valor.

Seu amigo ganha mais no mesmo cargo que você? Saiba como lidar

Você sabe o quanto vale como funcionária? É bom ter informações sobre o quanto seus amigos em cargos similares recebem e quais tipos de oportunidades estão disponíveis para eles. “Fale com seus amigos para ter uma ideia de onde você está hoje e seu potencial de crescimento”, diz Kruger.

Um estudo da base de dados de compensação de carreira nos Estados Unidos revelou que 46% das mulheres em todas as indústrias acreditam que seu gênero está as impedindo de crescer profissionalmente. Pergunte aos colegas do seu nível como eles negociaram o salário ou cargo em que estão.

Use essas informações para negociar um salário mais alto. Mas tenha cuidado com os argumentos que usa: “Eu não apresentaria detalhes sobre os salários dos amigos como forma de justificar o pedido de aumento”, diz Kruger. “Para mim, parece melhor entender as oportunidades de mercado, o que pode te ajudar a elaborar um pedido razoável e, em seguida, criar bons argumentos para explicar o porquê. Você pode falar genericamente sobre a pesquisa que você fez, mas não necessariamente usar os números que compartilharam com você”.

Como negociar seu salário?

O que ajudou Palmer e suas amigas nessa negociação por um salário mais alto foi praticar a conversa entre si e revisar o roteiro até ser sólido. Pode parecer bobeira no início, mas você terá uma vantagem sobre seus concorrentes, uma vez que já tenha articulado as palavras em voz alta antes de se sentar no escritório do seu chefe.

Texto original publicado na Vogue

Fotos: AdobeStock e Tenor

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Gabriella Bertoni
Gabriella Bertoni
Repórter, produz matérias para o Finanças Femininas. Apaixonada por livros e por contar histórias, é recém-chegada em São Paulo e ainda está completamente perdida, mas adorando a cidade.
Fale comigo! :) gabriella@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

ficar-rica-habitos-que-deixam-pobre

11 de abril de 2019

O primeiro passo para enriquecer é não gastar tudo o que ganha. Carol Sandler conta quais são os outros hábitos que te deixam mais pobre!

dinheiro-controle-educacao-financeira-thais-teles-01

2 de abril de 2019

Não basta ganhar dinheiro: tem que saber como gastar. É aqui que entra a educação financeira. Parece complicado? Nem tanto! Entenda de um jeito fácil!

licoes-dinheiro-filha

21 de março de 2019

Educação financeira infantil é fundamental para criar filhas independentes e que sabem cuidar do próprio dinheiro. O primeiro passo é falar sobre. Veja como!

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas