Como funcionam o Mercado de Capitais e a Bolsa de Valores

27 de novembro de 2012 - Por

Bolsa de Valores Bovespa Ibov Iniciantes Mercado IPO

quem ama, compartilha!

Você quer começar a investir, mas não faz ideia de como funciona este universo? Nós preparamos este pequeno guia que explica tudo!

O mercado de capitais é um sistema criado para facilitar a capitalização das empresas, istó é, para financiá-las através da emissão e venda de ações ao público. Se uma empresa precisa de dinheiro para crescer, ela vende ações no mercado. As bolsas de valores criam, organizam e regulam mercados, onde essas ações emitidas podem ser negociadas com confiança e transparência.

Apesar de provavelmente já ter ouvido bastante sobre as ações, você sabe o que elas são? As ações são valores mobiliários emitidos por sociedades anônimas. Não entendeu? Elas representam a fração mínima do capital da empresa, ou seja, ao comprar uma ação você se torna coproprietária do empreendimento e tem direito à participação nos resultados da empresa.

Existem várias peculiaridades sobre as ações – elas podem ser escriturais ou representadas por certificados, ordinárias ou preferenciais e com emissão em ofertas públicas ou privadas.

Quando uma empresa resolve que quer ter suas ações negociadas na Bolsa de Valores, ela passa por um processo de Oferta Pública, conhecido como IPO (Initial Public Offer). Na ocasião, os investidores colocam suas ordens de quanto gostariam de comprar e qual preço gostariam de pagar (dentro de um limite estabelecido pelos bancos estruturadores). Ao final da Oferta, as ações passam a negociar na Bolsa – mercado secundário – e qualquer um pode comprá-las ou vendê-las ao preço que achar justo (se achar um vendedor ou comprador que goste desse preço!).

Na prática, como funciona o mercado secundário? Os operadores das corretoras associadas à bolsa acessam o sistema e colocam as ofertas de compra e venda dos seus clientes (pessoas físicas e jurídicas). Essa informação é visualizada pelos outros participantes do mercado em tempo real. A partir daí, eles podem ou não fazer negócios de acordo com suas premissas de preços. Por exemplo, se eles acham que vale a pena comprar a ação por R$ 20, mas só tem gente vendendo por R$ 25, alguém vai ter que ceder…

As operações ocorrem no período regular da bolsa que vai das 10h as 17h (a partir de segunda, vai ser das 10h às 17h30, por causa da pressão que o mercado fez) e é precedido pelo leilão de pré-abertura que tem 15 minutos de duração. No últimos minutos do pregão, ocorre o leilão de fechamento para papéis que integram a carteira do Ibovespa. Após o encerramento, começa o período do after market, no qual as transações só podem ser feitas com ações da carteira dos índices apurados pela bolsa que tenham sido negociadas no dia e dentro do intervalo de -2% e +2% em relação ao preço de fechamento do pregão regular.

Para operar na bolsa, a primeira coisa que você precisa, então, é de uma conta aberta em uma Corretora de Títulos e Valores Mobiliários. Qual a melhor forma de escolher a sua? Depende. Você precisa sempre olhar e comparar as taxas cobradas (corretagem e custódia), assim como entender que tipo de atendimento e plataformas você poderá ter acesso (algumas corretoras disponibilizam plataforma de Home Broker, por exemplo, na qual você pode colocar suas ordens de qualquer computador!).

Para saber qual ação comprar, aí a conversa é mais longa.. Depende muito do seu perfil (se você não sabe qual é o seu, clique aqui para descobrir!), horizonte de investimento, visão sobre os setores e empresas. Enfim, não é nada óbvio, então você precisa estudar um pouco para aprender a entrar neste mundo.

Se precisar de ajuda com relação à corretoras e outras informações, fala com a gente!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

carolinaruhman
Carol Sandler
Carol Sandler é fundadora do Finanças Femininas, a maior plataforma online do Brasil de empoderamento feminino através da educação financeira. Apresenta o quadro "Carol, cadê meu dindin" semanalmente no programa SuperPoderosas, da TV Band. Autora do livro "Detox das Compras (Saraiva, 2017) e coautora do livro “Finanças Femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015), junto com o economista Samy Dana. Estudou Jornalismo na PUC-SP e Economia e Relações Internacionais no Institut d’Études Politiques de la France, em Paris. Colunista do site da revista CLAUDIA e do portal Tempo de Mulher.

Leia em seguida

investimentos_exterior

7 de junho de 2017

Se você tem curiosidade de acessar investimentos no exterior, veja se essa opção cabe no seu bolso e objetivos.

investimentos_bons

6 de março de 2017

Se você está com o seu dinheiro aplicado em investimentos, verifique se está fazendo um bom negócio.

desculpas_para_nao_investir

24 de janeiro de 2017

Muita gente deixa o plano de guardar dinheiro sempre para o futuro. Confira algumas desculpas que damos a nós mesmas para não investir e livre-se delas.

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas