Crediário e cartão de crédito foram os principais causadores de inadimplência no último ano, diz SPC

18 de setembro de 2018 - Por

crediario-cartao-de-credito-inadimplencia(1)

quem ama, compartilha!

Você é do tipo de consumidora que utiliza o cartão de crédito e o crediário sem se planejar? Ou já aceitou o aumento do cheque especial e a oferta de cartões de lojas sem ponderar em como isso impactaria o seu orçamento? Pois esses são os principais causadores de inadimplência no Brasil.

De acordo com um levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), em conjunto com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 58% dos consumidores que utilizaram o crediário no último ano atrasaram as prestações e acabaram negativados. Outros 48% deixaram de pagar a fatura do cartão de crédito.

Já o cheque especial foi apontado como a modalidade com menos inadimplência por 30% dos entrevistados. Entre os instrumentos de crédito mais utilizados, o cartão de crédito lidera o ranking, com 67% de menções. Em seguida está o crediário (27%) – carnês, boletos e cartões de loja –, seguido do empréstimo consignado em bancos (14%) e o empréstimo pessoal em bancos (12%).

A pesquisa foi realizada com 910 consumidores de todas as regiões brasileiras, homens e mulheres com idade igual ou maior a 18 anos e de todas as classes sociais.

“O crédito é um título de dívida para quando você adquire um bem, serviço ou produto. Dessa forma, fica mais fácil se perder em meio às parcelas e é ai que mora o perigo em relação a como as pessoas perdem o controle do cartão. O cartão, por exemplo, pode se tornar uma arma na mão de uma pessoa leiga, financeiramente falando”, comenta Diego Barbieri, professor de Contabilidade da IBE Conveniada FGV.

Consumidores estão mais atentos às tarifas – menos no cheque especial

Ainda de acordo com o levantamento, 71% dos consumidores analisam as tarifas e os juros praticados ao fazer um financiamento e 70% ao contrair um empréstimo. Entretanto, três a cada dez (30%) reconhecem que não mensuram os encargos do cartão de crédito na hora de aceitar uma proposta e outros 45% ignoram as taxas do cheque especial.

Já 85% dos entrevistados afirmaram que controlam de perto o cheque pré-datado, 77% acompanham as parcelas do financiamento e 75% do empréstimo. Por outro lado, o crediário (31%) e o cartão de crédito (30%) são as opções que detém menos atenção dos usuários.

Para Barbieri, a dica para não ficar negativada é ter total controle do que se gasta e fazer compras apenas dentro daquilo que se enquadra em sua renda. “O perigo de utilizar o crédito sem planejamento é assumir parcelas que vão comprometer o seu salário e você se esquecer das outras despesas da manutenção do mês. O mais saudável é comprometer apenas 30% da sua renda com as parcelas.”

A importância do planejamento financeiro

O SPC apurou que quatro em cada dez consumidores (41%) têm o hábito de aceitar ofertas de cartões de crédito de lojas ou bancos – 15% aceitam somente se tiver isenção de anuidade e outros 15% apenas se de fato precisarem. Outros 7% aceitam porque gostam de ter crédito disponível e 3% contratam sem ter real necessidade.

crediario-cartao-de-credito-inadimplencia(2)

Mais de um terço (37%) das pessoas costuma aceitar aumento no limite do cheque especial. Quando recebem ofertas de bancos para um limite maior do cheque ou crédito extra, 19% aceitam apenas se houver necessidade, enquanto 14% afirmam que gostam de ter crédito disponível caso precisem – e 4% aceitam a proposta mesmo se não houver necessidade. No entanto, 32% dispensaram as ofertas por falta de necessidade do crédito.

Quando o assunto é dinheiro, é fácil ficar tentada a pedir um aumento de limite do cartão ou aceitar o crédito extra, afinal, essa é uma forma de conseguir comprar aquele item que sempre fica para depois. Porém, essa é uma prática extremamente nociva ao seu orçamento e é preciso ficar atenta para não entrar em uma bola de neve.

“Por exemplo, planejar uma viagem e dividir as passagens aéreas em 12 vezes no cartão, para não ficar com o limite comprometido, é uma forma de planejamento financeiro. A dica é nunca pedir para aumentar o limite sem motivo algum, quando há intenção de apenas gastar mais”, ressalta Barbieri.

Aumento do desemprego x falta de controle financeiro

Outro levantamento, também realizado pelo SPC em conjunto com a CNDL, revelou que a alta taxa de inadimplência está relacionada com a crise econômica pela qual o País passa e ainda se recupera lentamente e, por consequência, o crescimento do desemprego. Aliado a isso está a falta de controle das finanças pela população.

Entre os principais causadores da inadimplência estão a perda do emprego (37%) – chega a 38% nas classes C e D –, a redução da renda (24%) e a falta de controle financeiro (12%). Em relação à falta de planejamento, 39% dos entrevistados afirmaram que se endividaram ao cair nas promoções oferecidas pelas lojas. Já 24% afirmaram não ter negociado bem os preços no momento da compra e 14% disseram que costumam comprar mais do que o necessário para se sentir bem quando estão ansiosos.

Por outro lado, seis em cada dez brasileiros inadimplentes (61%) têm pouco conhecimento sobre a própria renda. Um outro problema encontrado é que 45% dos entrevistados afirmaram que sabem pouco ou quase nada sobre o valor das contas básicas, como água, luz, telefone, aluguel, condomínio, plano de saúde e mensalidade escolar. Já 61% desconhecem o número exato de parcelas das compras realizadas por meio do crédito e, em geral, 36% não planejam o orçamento mensal.

Ansiedade (21%) e insatisfação ou problemas no trabalho (13%) também foram apontados como gatilhos para a inadimplência, assim como 12% contraíram dívidas em momentos de estado emocional abalado por dificuldades financeiras, enquanto 9% passavam por problemas no relacionamento familiar. Foram ouvidos 609 consumidores que possuem contas em atraso há mais de 90 dias, em todas as capitais do País, de ambos os gêneros, acima de 18 anos e de todas as classes sociais.

Independentemente do motivo, é preciso sempre ficar atenta ao seu orçamento e ter um bom planejamento financeiro para fugir da inadimplência. “É essencial que o limite de crédito seja tomado com responsabilidade e com um motivo muito claro. É comum que as pessoas esqueçam das pequenas dívidas no momento do fechamento da fatura e o juros dessa dívida são caríssimos”, conclui Barbieri.

Fotos: Fotolia

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Gabriella Bertoni
Gabriella Bertoni
Repórter, produz matérias para o Finanças Femininas. Apaixonada por livros e por contar histórias, é recém-chegada em São Paulo e ainda está completamente perdida, mas adorando a cidade.
Fale comigo! :) gabriella@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

cadastro-positivo

10 de abril de 2019

Agora, todos serão automaticamente incluídos no Cadastro Positivo do Serasa, SPC e afins. Seus dados estão seguros? Quais são as vantagens? Descubra!

cartao-de-credito-novas-regras(2)

1 de novembro de 2018

Se você costuma utilizar bastante o seu cartão de crédito, cuidado! A partir de agora, os bancos podem reduzir o limite sem aviso prévio. Saiba como isso pode te afetar.

fraude-com-cartao-de-credito(1)

3 de outubro de 2018

Você já foi ou tem medo de ser vítima de fraudes com cartão de crédito? Tomando alguns cuidados é possível se precaver e buscar por mais segurança. Saiba o que fazer!

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas