Crédito fácil levou 59% dos brasileiros a compras por impulso, diz estudo

17 de maio de 2018 - Por

compras-impulso

quem ama, compartilha!

Ter acesso ao crédito com facilidade pode salvar a sua vida em um momento de emergência. Mas também pode te levar às compras por impulso e à inadimplência, caso a situação saia do controle. A cada dez consumidores, seis (59%) aproveitaram o crédito fácil para fazer compras não planejadas – 15% dividem no maior número possível de prestações.

Esse levantamento nacional realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra o quanto é comum as pessoas utilizarem o crédito da maneira mais perigosa e, por consequência, correrem o risco de ficarem cada vez mais endividadas. Ao todo, foram entrevistados 910 consumidores de ambos os gêneros, de todas as classes sociais e acima de 18 anos.

Cartão de crédito: vilão ou mocinho?

Para 66% dos consumidores, o cartão de crédito é a primeira opção na hora de parcelar uma compra. Em segundo, aparece o crediário, mas com apenas 13% das menções, seguido do financiamento, com 4% de preferência. O cheque pré-datado foi citado por 1% dos entrevistados.

Ao serem perguntados sobre como preferem realizar a maior parte dos seus pagamentos, 9% dos consumidores disseram que sempre preferem parcelar, independentemente das condições, enquanto 34% só pagam em dinheiro ou cartão de débito se houver algum desconto vantajoso. Por outro lado, 41% sempre pagam à vista.

Dos entrevistados, 31% disseram ser mais prudentes na hora de parcelar a compra, levando em consideração se a alternativa se encaixa na sua realidade financeira. Outros 18% afirmaram que dão preferência pela menor quantidade de prestações disponíveis.

“O acesso ao crédito fácil aumenta a possibilidade de endividamento das pessoas por ser uma modalidade que, muitas vezes, é ofertada sem muita análise da situação financeira do consumidor. Isso sem contar os juros, que podem ser muito altos. Quem é o tomador de crédito não consegue visualizar a situação a longo prazo. Ele olha o hoje, no curto prazo – que é tomar o dinheiro e resolver a necessidade que ele tem -, e toma a decisão de gastar”, ressalta Leandro Trajano, especialista em planejamento financeiro.

Compras por impulso podem acabar com o seu orçamento

Os vencedores das compras por impulso foram as roupas, calçados e acessórios (19%), seguidos por compras em supermercado (17%), perfumes e cosméticos (14%) e idas a bares e restaurantes (13%). A aquisição de peças de vestuário e acessórios foi mais presente entre a parcela feminina de entrevistados (23%), enquanto a compra de produtos eletrônicos ganhou destaque entre os homens (13%).

cartao-credito

Já a Internet foi eleita o canal de venda que mais estimula compras parceladas, com 33% da preferência, enquanto o cartão de crédito tornou-se o favorito na hora de pagar. Os entrevistados avaliaram que o cheque pré-datado e crediário são as modalidades mais difíceis de serem aceitas.

Um terço (33%) dos consumidores acredita que as lojas online estimulam novas compras ao oferecerem mais possibilidades de parcelamento. Outros tipos de estabelecimentos que os entrevistados sentem essa facilidade para dividir em várias vezes são as lojas de departamento (23%), supermercados (13%) e shopping center (12%).

Controle o seu cartão e fuja do rotativo

O primeiro passo para não ser parte do grupo de pessoas endividadas por causa do cartão de crédito é fazer um planejamento financeiro e saber o quanto a fatura mensal consome dos seus rendimentos. Pode parecer algo simples, mas que fará muita diferença no seu orçamento.

Estabeleça limites pessoais para uso mensal do cartão de crédito. Não significa que, se você tiver R$ 10 mil de limite, poderá usá-lo. Lembre-se, é fundamental conseguir pagar o valor da fatura cheia na data de vencimento.

Estabelecido esse limite de gasto mensal do cartão, vale a pena utilizá-lo em situações de compras planejadas e quando o parcelamento sem juros se mostre mais vantajoso do que a compra a vista. Fuja do crédito rotativo – os juros cobrados são exorbitantes e podem tornar a sua dívida impagável depois de um tempo.

“Tenha muito cuidado no acúmulo de parcelas, para que elas não venham estourar o limite estabelecido. Sempre consulte a fatura online do seu cartão. Ela é uma ótima ferramenta para o seu controle mensal do fluxo de gastos, principalmente se for parcelar em muitas vezes. Fique atenta também ao número de cartões – se possível, utilize apenas um”, conclui Anderson Pellegrino, professor de economia da IBE conveniada FGV.

Fotos: Fotolia

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Gabriella Bertoni
Gabriella Bertoni
Repórter, produz matérias para o Finanças Femininas. Apaixonada por livros e por contar histórias, é recém-chegada em São Paulo e ainda está completamente perdida, mas adorando a cidade.
Fale comigo! :) gabriella@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

fomo-redes-sociais

23 de julho de 2018

Sabe aquele sentimento de aflição e ansiedade quando você vê algo que quer, mas não pode comprar nas suas redes sociais? Isso pode impactar e muito as suas finanças. Saiba como funciona o FoMo!

cadastro-positivo

25 de junho de 2018

O Cadastro Positivo ainda gera muitas dúvidas entre os consumidores. Será que, de fato, nossos dados estarão protegidos e os juros irão reduzir? Confira!

herança-de-dívida

19 de abril de 2018

Um ente querido morreu e deixou uma dívida sem pagar? A advogada Renata Vilas-Bôas esclarece em quais situações a família precisa arcar com o pagamento. Confira!

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas