Cursos online picaretas: 6 dicas para não cair em uma cilada

8 de janeiro de 2019 - Por

curso-online-picareta(1)

quem ama, compartilha!

As promessas são várias: fique rica em poucos meses, aprenda a viajar gastando pouco ou pare trabalhar antes dos 30. Em uma rápida busca pela internet, é possível encontrar inúmeras opções de cursos online picaretas com fórmulas mágicas para mudar de vida sem muito esforço. É preciso muito cuidado para não cair em uma cilada – e pior, perder dinheiro com isso.

De fato, a internet nos trouxe inúmeras facilidades para o dia a dia, como pagar contas sem sair de casa, ter acesso às informações do mundo todo e conversar com pessoas onde quer que elas estejam. Entretanto, este é um universo que também apresenta muitos riscos. A grande questão é, em meio a tantos dados, saber discernir o que é ou não verdade.

“Muitos picaretas se aproveitam do desespero de um contingente de mais de 13 milhões de desempregados para divulgar cursos falsos. Existem sites de cursos online com ofertas falsas por aí e, em casos mais graves, chegam a prometer vagas de emprego”, comenta a advogada Cátia Vita.

Para te ajudar a não cair em uma grande cilada, separamos 6 dicas de como evitar cursos online picaretas. Confira:

1 – Cuidado com tudo o que vê na internet

Sabe quando você faz uma pesquisa no Google sobre determinado assunto e simplesmente aparecem propagandas relacionadas a isso em todas as suas redes sociais? Pois é, esse é um mecanismo para te fisgar pela curiosidade. Por isso, tenha muito cuidado no que você clica.

2 – Procure por referências do fornecedor do curso

Antes de se inscrever em qualquer curso, é fundamental buscar por referências da pessoa ou da empresa que ministrará aquele conteúdo. Faça isso ao pesquisar por textos, vídeos e áudios já publicados pela fonte ou converse com pessoas que já realizaram o treinamento.

Verifique também o currículo de quem ofertará o curso, se a pessoa já ministrou outros tipos de treinamento, se é o dono da ideia e ainda se tem algum artigo escrito ou referências. “As referências são fundamentais para que você não caia no conto do vigário. Além delas, os depoimentos de ex-alunos devem existir. Aqui, é interessante identificar se eles são realmente verdadeiros ou se são forjados. Pesquise por eles nas redes sociais e pergunte como foi o curso”, ressalta Márcio Cerbella, pedagogo, consultor empresarial e instrutor credenciado pelo Sebrae.

3 – Verifique o conteúdo gratuito

Geralmente, os responsáveis pelos cursos disponibilizam parte do material de forma gratuita na internet. Conferir esse conteúdo antes de comprar qualquer pacote é uma forma de saber se você se identificará com o que está sendo ensinado e saber a qualidade das informações repassadas.

curso-online-picareta(2)

4 – Para fugir do curso online picareta, pesquise antes por sua reputação

“Se você quiser utilizar algum desses serviços, faça uma pesquisa em sites de reclamações antes de se cadastrar (como o Reclame Aqui) e utilize sempre sites e cursos conhecidos. Outra dica importante é desconfiar de preços muito baixos com grandes promessas”, alerta Vita.

Além disso, procure se a instituição de ensino ou o curso tem reconhecimento pelo Ministério da Educação (MEC) e se a empresa possui CNPJ.

5 – Evite fornecer dados importantes

Você resolveu comprar um curso online, mas te pediram muitos dados pessoais importantes ou para depositar o dinheiro em contas de pessoas físicas? Desconfie! Uma dica de segurança fundamental é nunca divulgar informações como número de cartão de crédito junto com CPF, RG e endereço. O pedido desses dados por parte do fornecedor do curso pode indicar interesses escusos.

Uma alternativa é optar por realizar o pagamento via boleto. Por outro lado, se você preferiu pagar via cartão de crédito, fique atenta à sua fatura para identificar, de forma rápida, compras indevidas com os seus dados. Outra dica é verificar se a página de compra do curso é segura.

“Repare se há um cadeado no canto superior da página, no local onde se digita o endereço eletrônico do curso. Ao clicar neste cadeado, você saberá se o site é seguro ou se você corre risco de ter os seus dados capturados”, pontua Cerbella.

6 – Não tenha medo de investir em você mesma

Por mais que o universo da internet seja cheio de picaretagem, muitos cursos podem dar um gás na sua carreira ou acrescentar conhecimento à sua vida pessoal. Investir em você mesma é a melhor forma de crescer e alcançar os seus objetivos.

“A internet e a facilidade de acesso à informação são fatores que não se pode deixar em segundo plano. Cursos online são uma ótima maneira de você se preparar, adquirir novas competências, se especializar ou acrescentar valor à sua carreira. É comum que os cursos, além de entregar algum tipo de certificação, permitam que você tenha acesso ao material de revisão quando desejar. Assim, você terá acesso sempre que desejar um conteúdo que promove um grande aprendizado”, conclui Cerbella.

Fotos: Adobe Stock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Gabriella Bertoni
Gabriella Bertoni
Repórter, produz matérias para o Finanças Femininas. Apaixonada por livros e por contar histórias, é recém-chegada em São Paulo e ainda está completamente perdida, mas adorando a cidade.
Fale comigo! :) gabriella@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

networking-puxar-assunto-01

16 de maio de 2019

Ser boa em puxar assunto é um dos segredos para construir seu networking e turbinar sua carreira. Como? Faça boas perguntas! Confira algumas sugestões.

carreira-o-que-os-chefes-odeiam 01

14 de maio de 2019

Segundo pesquisa, chefes e gestores detestam funcionários que chegam atrasados ou fofocam. Descubra quais são os outros!

soft-skills-sucesso-profissional-01

15 de abril de 2019

Segundo levantamento do LinkedIn, criatividade é a soft skill mais desejada (e em falta). Conheça as outras características que podem fazer sua carreira deslanchar!

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas