Dólar bate recorde e fecha o dia em R$ 5,40 nesta quarta (22)

22 de abril de 2020 - Por

Dólar bate recorde e fecha o dia em R$ 5,40 nesta quarta (22)

quem ama, compartilha!

Esse texto faz parte da cobertura do Finanças Femininas para traduzir o que está acontecendo com o mercado financeiro durante a pandemia do coronavírus. Ajudamos você a se informar com uma linguagem simples, sem economês e sem pânico!

Ibovespa: +2,16% (80.678 pts)

Dólar: +1,91% (R$ 5,40)

Casos de coronavírus: 45.757 confirmados e 2.906 óbitos (fonte: Ministério da Saúde)*

Resumo:

  • Ibovespa fecha em alta com otimismo vindo do exterior;
  • dólar bate novo recorde de fechamento graças à desconfiança do investidor estrangeiro;
  • Governo de São Paulo anuncia plano para reabertura gradual;
  • trabalhadores que tiveram auxílio emergencial negado poderão recorrer via app.

Depois do susto que o petróleo deu na última segunda (20), ficando negativo pela primeira vez na história, esta quarta-feira foi animadora para as bolsas ao redor do mundo, inclusive a nossa B3, que fechou em alta.

Boa parte do otimismo se deve ao pacote de US$ 484 bilhões aprovado pelo Senado americano para socorrer a economia devido aos impactos do coronavírus, que prevê ajuda para pequenas empresas e hospitais americanos. O projeto ainda precisa passar pela Câmara dos Estados Unidos e ser sancionado pelo presidente Donald Trump, mas acredita-se que ele deve assinar sem maiores problemas.

Outra parte se deve à disparada do petróleo. Ainda existe petróleo demais para pouca gente consumindo, mas a promessa da Casa Branca de apoiar a indústria americana ajudou os investidores a olharem para frente.

O susto do dia veio com o dólar, que bateu recorde de fechamento: R$ 5,4092. Ao longo do dia, o câmbio chegou aos R$ 5,41, representando um novo recorde intradiário – ou seja, ao longo do dia. O dólar turismo chegou a ser negociado por R$ 5,63.

Para especialistas e agentes do mercado financeiro, a forte alta se deve aos comentários recentes do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que apontam que a taxa Selic pode voltar a cair. O objetivo seria estimular a economia por meio do consumo – outra medida para lidar com o baque causado pelo COVID-19 no Brasil. Por outro lado, a medida pode afastar investidores estrangeiros, que procurarão países mais seguros e com taxas de juros mais atrativas para aplicarem seu capital – consequentemente, diminuindo a quantidade de dólar no Brasil.

Coronavírus: Governo de São Paulo anuncia plano para reabertura gradual

Coronavírus: Governo de São Paulo anuncia plano para reabertura gradual

O processo de reabertura de São Paulo acontecerá de forma estratégica a partir do dia 11 de maio, segundo anunciou o governador João Doria (PSDB) em coletiva de imprensa nesta quarta (22).

Ainda não há muitos detalhes sobre o chamado Plano São Paulo, mas sabe-se que a equipe multidisciplinar escalada pelo governo do estado analisará dois critérios: na área da saúde e na econômica.

Na primeira, os protocolos adotados serão acompanhamento da disseminação do vírus, monitoramento da capacidade do sistema de saúde – o que inclui a disponibilidade de leitos e o uso de testes rápidos – e a comparação com diferentes cenários de evolução do vírus

Já na segunda, cada setor terá seu protocolo. “Vamos priorizar setores de maior vulnerabilidade e menor risco”, disse Patricia Ellen, secretária do Desenvolvimento Econômico. De acordo com Ellen, estes seriam comércio, economia criativa e cultura e turismo.

Segundo Doria, mais detalhes sobre o afrouxamento do isolamento social serão anunciados no dia 8 de maio. Por isso, ainda não existe uma data cravada para o fim da quarentena em sua totalidade.

Por que você precisa saber? O Plano afetará diretamente a vida dos paulistas, visto que ditará o rumo que saúde e economia andarão. Os demais estados brasileiros também sentirão o impacto, visto que São Paulo representa 34% da produção industrial do País, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Teve auxílio emergencial negado? Análise poderá ser contestada, diz Caixa

Os trabalhadores informais que tiveram a renda básica emergencial negada poderão pedir uma reanálise no mesmo aplicativo que fizeram o cadastro, anunciou a Caixa Econômica Federal.

De acordo com o vice-presidente de Varejo da Caixa, Paulo Henrique ngelo, foram detectados problemas na inscrição, tais como incongruência, divergência ou falta de dados, relatou a Exame. Um exemplo é quando o trabalhador assinalou que é chefe de família, mas não adicionou os membros, incluindo informações sobre data de nascimento e CPF.

Por que você precisa saber? Se este é o seu caso, aproveite o momento para contestar a recusa. Apenas lembre-se que o auxílio emergencial não é voltado para quem tem vínculo de emprego formal, é servidor público ou já faleceu.

*Até o fechamento do texto

Fotos: AdobeStock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Ana Paula de Araujo
Ana Paula de Araujo
Repórter e produtora, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) anapaula@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

Apesar de conflitos no Brasil e EUA, Bolsa fecha em alta nesta segunda (1º)

1 de junho de 2020

O Ibovespa ignorou os conflitos políticos e manifestações antifascismo e antirracismo nos EUA e Brasil, fechando em alta puxada pelos bancos. Veja mais.

Apesar do coronavírus e queda no PIB, Bolsa tem melhor maio desde 2009

29 de maio de 2020

Apesar do coronavírus e da queda de 1,5% no PIB do 1º trimestre, a Bolsa se livrou da “maldição de maio” e fechou com alta. Entenda o motivo.

Tensão entre governo e STF derrubam Bolsa nesta quinta (28)

28 de maio de 2020

O embate entre governo e STF pelo inquérito das fake news deixou o mercado financeiro inseguro, derrubando o Ibovespa. Desemprego bateu recorde. Veja mais.

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas