Dólar fecha a R$ 5,84: entenda o que aconteceu nesta quinta-feira (7)

7 de maio de 2020 - Por

Dólar a R$ 5,84: o que o coronavírus e a Selic têm a ver

quem ama, compartilha!

Esse texto faz parte da cobertura do Finanças Femininas para traduzir o que está acontecendo com o mercado financeiro durante a pandemia do coronavírus. Ajudamos você a se informar com uma linguagem simples, sem economês e sem pânico!

Ibovespa: -1,2% (78.119 pts)

Dólar: +2,51% (R$ 5,84)

Casos de coronavírus: 128.975 confirmados e 8.685 óbitos*

Resumo:

  • Dólar renova recorde e fecha a R$ 5,84;
  • mercado é surpreendido pela queda de 0.75 p.p. da Selic e reage negativamente;
  • auxílio emergencial: valor que não foi sacado em 90 dias voltará para o governo;
  • 40% dos brasileiros já perderam parte ou toda a renda por pandemia do coronavírus.

A decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) de cortar a taxa Selic para 3% ao ano – um corte de 0,75 ponto percentual, acima dos 0,50 p.p esperados – deixou o mercado surpreso, o que repercutiu na Bolsa nesta quinta-feira (7).

O anúncio do Copom indicou que um novo corte pode vir por aí na próxima reunião, que acontecerá em junho. Visto que a taxa Selic é um instrumento de política monetária – conforme explicamos aqui –, a mensagem passada ao mercado é de que a crise que o Brasil já enfrenta por causa da pandemia do coronavírus se aprofundará daqui para frente.

“A pandemia da COVID-19 está provocando uma desaceleração significativa do crescimento global, queda nos preços das commodities e aumento da volatilidade nos preços de ativos”, diz o comunicado.

Com a taxa básica de juros muito baixa, o medo do mercado financeiro é de que a baixa rentabilidade provoque forte saída de capitais do País.

A reação ficou clara no pregão do dia: Ibovespa em queda na maior parte do dia e um novo recorde nominal do dólar comercial, que fechou em R$ 5,8459, mas chegou a alcançar R$ 5,8763 na máxima do dia.

Auxílio emergencial: valor que não foi sacado em 90 dias voltará para o governo

Quem recebeu o auxílio emergencial por meio da Poupança Social Digital tem 90 dias para sacar o dinheiro, do contrário, ele voltará para os cofres públicos, segundo o Ministério da Cidadania.

Dólar a R$ 5,84: o que o coronavírus e a Selic têm a ver

Por que você precisa saber? A medida só vale para o dinheiro pago na poupança digital da Caixa. Se for o seu caso, lembre-se de sacar, usar ou transferir o valor para outras contas. Ensinamos aqui como sacar o auxílio na rede Banco 24 Horas.

40% dos brasileiros já perderam parte ou toda a renda por pandemia do coronavírus

Os efeitos do coronavírus já afetaram o poder de compra de 4 em cada 10 brasileiros, mostrou levantamento realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Entre os entrevistados, 23% perderam totalmente a renda desde o começo da pandemia, enquanto 17% tiveram o ganho mensal reduzido, somando um percentual de 40% afetados.

Os números mostram que mesmo quem não está nessa estatística tem medo: 48% dos trabalhadores temem fortemente perder o emprego; 19% têm medo médio e 10% pequeno: a preocupação está presente em um total de 77% dos entrevistados inseridos no mercado de trabalho.

Tanto a renda reduzida quanto o medo de perder o emprego fizeram com que 77% dos participantes do levantamento pisassem no freio quando o assunto é consumo nas semanas de isolamento social.

Por que você precisa saber? As mudanças que o mundo inteiro está passando servem de alerta: a forma que consumimos também está passando por transformações, mesmo que à força. Se a necessidade de reduzir os gastos ainda não bateu à sua porta, faça isso antecipadamente para não ser pega de surpresa caso o pior aconteça.

*Até o fechamento do texto. Fonte: G1, via levantamento feito junto às secretarias estaduais de saúde

Fotos: AdobeStock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Ana Paula de Araujo
Ana Paula de Araujo
Repórter e produtora, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) anapaula@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

Apesar de conflitos no Brasil e EUA, Bolsa fecha em alta nesta segunda (1º)

1 de junho de 2020

O Ibovespa ignorou os conflitos políticos e manifestações antifascismo e antirracismo nos EUA e Brasil, fechando em alta puxada pelos bancos. Veja mais.

Apesar do coronavírus e queda no PIB, Bolsa tem melhor maio desde 2009

29 de maio de 2020

Apesar do coronavírus e da queda de 1,5% no PIB do 1º trimestre, a Bolsa se livrou da “maldição de maio” e fechou com alta. Entenda o motivo.

Tensão entre governo e STF derrubam Bolsa nesta quinta (28)

28 de maio de 2020

O embate entre governo e STF pelo inquérito das fake news deixou o mercado financeiro inseguro, derrubando o Ibovespa. Desemprego bateu recorde. Veja mais.

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas