Eleições 2018: quais são as propostas para Políticas Sociais e Meio Ambiente dos candidatos à Presidência?

13 de setembro de 2018 - Por

eleicoes-2018-candidatos-presidencia-propostas-politicas-sociais-meio-ambiente-01

quem ama, compartilha!

Discutir políticas sociais é essencial em um país cheio de desigualdades como o nosso. Não à toa as Eleições 2018 trouxeram à tona os pontos de vista dos candidatos à Presidência em relação a programas sociais, como Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida, políticas de meio ambiente, direitos das mulheres, direitos humanos e cuidados com as minorias, como população negra e LGBTQIA+.

Por isso, elaboramos este guia com um resumo das propostas para Políticas Sociais de oito candidatos à Presidência. Utilizamos como critério os oito primeiros colocados nas últimas pesquisas e a ordem de apresentação é alfabética. Constam aqui Alvaro Dias (PODE), Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB), Jair Bolsonaro (PSL), João Amoedo (NOVO) e Marina Silva (Rede).

As propostas apresentadas abaixo foram majoritariamente retiradas dos documentos de diretrizes de governo disponibilizados no site do TSE pelas próprias coligações e de declarações públicas, como entrevistas e manifestações em redes sociais.

Para encontrar propostas ou um candidato específico, aperte “CTRL + F” (Windows) ou “Command + F” (macOS), que é o comando para encontrar um termo na página. Se você quiser saber quais são as propostas para Economia, Educação, Saúde e Segurança Pública, clique aqui.

Propostas de políticas sociais de Alvaro Dias (PODE)

eleicoes-2018-propostas-alvaro-dias

  • Manter o Minha Casa, Minha Vida, defendendo que o programa leve em conta outros serviços essenciais, como saúde e educação, para definir o local dos empreendimentos;
  • utilizar desenvolvimentos tecnológicos para a preservação do meio ambiente;
  • proteção de mananciais, com replantio de matas em 3.500 municípios, e “gestão produtiva dos cursos d’água e aquíferos”;
  • promete investimento de R$ 20 bilhões/ano em saneamento básico e esgotos tratados;
  • manter programas de inclusão social e dar condições de emancipação, criando novas oportunidades;
  • o programa de governo fala sobre uma “rede de proteção social: crescer sem deixar ninguém para trás”, porém, não especifica as ações.

Políticas para as mulheres

O plano de governo não cita especificamente políticas para as mulheres.

Propostas de políticas sociais de Ciro Gomes (PDT)

eleicoes-2018-propostas-ciro-gomes

  • Realização de um pacote de investimentos dirigidos a diversas áreas de infraestrutura, incluindo saneamento básico, habitação, energia elétrica e demais energias renováveis, como eólica, solar e biomassa;
  • reforçar o Programa Minha Casa Minha Vida, incluindo recursos adicionais e infraestrutura de serviços em seu entorno;
  • fortalecer do Sistema Financeiro da Habitação.

Políticas para mulheres

  • Implementar medidas para prevenção da violência contra as mulheres, através de parceria com estados e municípios;
    pensar em políticas públicas para mulheres em contexto de urgência;
  • recriação da Secretaria das Mulheres;
  • garantir a aplicação efetiva da reserva de 30% das candidaturas para mulheres, estipulada pela lei de cotas e defender a paridade de mulheres na política;
  • adotar medidas apropriadas para melhorar a capacidade das mulheres para obter renda para além das ocupações tradicionais, com vistas à autonomia econômica;
  • garantir acesso igual das mulheres ao mercado de trabalho e aos sistemas de seguridade social;
  • implementar programas de microcrédito e treinamento de microempreendimentos com atenção às mulheres;
  • criar leis e programas que ajudem a proteger as trabalhadoras informais;
  • garantir o cumprimento da regra que determina a igualdade de salários de homens e mulheres, assim como a proibição de práticas discriminatórias por empregadores contra as mulheres, tais como as baseadas em provas de uso de contraceptivos ou gravidez;
  • promover programas de liderança entre meninas;
  • ampliar programas de incentivo para mulheres nas ciências exatas;
  • combater a evasão escolar de adolescentes grávidas, com focos nos estados do Norte e Nordeste, onde esses dados permanecem altos;
  • garantir a alfabetização para mulheres que já passaram da idade escolar tradicional;
  • implementar políticas públicas de proteção, apoio e atenção às mulheres com a melhoria no atendimento às mulheres em situação de violência;
  • fortalecer programas de treinamento dos profissionais de saúde e da polícia voltados para atender mulheres vítimas de violência;
  • instituir mecanismos de controle social do uso depreciativo de imagem de mulheres negras nos meios de comunicação;
  • garantir a implementação e execução do Plano Nacional de Políticas para as mulheres negras.

Direitos humanos

  • Garantir uma política de assistência social na perspectiva de equidade para os segmentos sujeitos a maiores riscos sociais, como a população negra de rua;
  • incluir a questão da diversidade cultural e religiosa desde a infância, valorizando a história e cultura das diversas etnias africanas;
  • aprimorar mecanismos de fiscalização contra as práticas de assédio sexual e discriminação racial na ocupação de vagas no mercado de trabalho;
  • manter ingresso da juventude negra em todas as universidades públicas através do sistema de cotas, assegurando via ações afirmativas a sua permanência nas instituições de ensino;
  • expandir o acesso das populações de áreas remanescentes de quilombos, comunidades rurais, ciganas e indígenas às escolas profissionais de ensino técnico;
  • combater a violência policial, buscando a preservação da vida e cidadania da juventude negra;
  • estimular a criação de secretarias de promoção da igualdade racial no âmbito dos estados e municípios;
  • criar o Comitê Nacional de Políticas Públicas LGBT com representantes estaduais, assim como uma Secretaria Nacional de Políticas Públicas para a Cidadania da população LGBTI, incluindo o amparo à seguridade de trabalho, emprego e renda à população LGBT e de ações afirmativas de combate à discriminação institucional de empresas e no ambiente de trabalho;
  • criar meios para coibir ou obstar os crimes LGBTIfóbicos, definindo suas características, equiparando aos crimes por racismo, injúria e feminicídio, cada qual com sua especificidade;
  • reestruturar, ampliar e fortalecer do Disk Direitos Humanos (Disk 100);
  • articular e apoiar a aprovação do Estatuto das Famílias e do Estatuto da Diversidade;
  • garantir a implementação da LBI – Lei Brasileira de Inclusão.

Meio Ambiente

  • aprimorar as regras gerais de licenciamento ambiental, combinando as necessidades de investimento e preservação ambiental;
  • expansão e universalização dos serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto;
  • implantação das Unidades de Conservação já criadas no Brasil com as devidas indenizações e/ou reassentamentos;
  • desenvolvimento do turismo sustentável;
  • criação de concessões à iniciativa privada de áreas e equipamentos de uso público para exploração econômica de serviços permitidos em Unidades de Conservação;
  • desenho de estratégia para redução do desmatamento e de e modelo de precificação da poluição (definição de formas de taxação para quem polui ou aprimoramento do mercado de certificados de emissão de carbono);
  • estímulo ao desenvolvimento de ecossistemas de inovação sustentável;
  • desenvolvimento de defensivos agrícolas de menor conteúdo tóxico para pessoas e meio ambiente;
  • regularização fundiária de territórios de comunidades tradicionais, quilombos, quilombolas e terras indígenas.

Propostas de políticas sociais de Fernando Haddad (PT)

eleicoes-2018-propostas-fernando-haddad

  • Ampliar o uso do Cadastro Único como fonte de diagnóstico para a implementação de políticas sociais;
  • retomar e ampliar a política nacional de segurança alimentar e nutricional, combatendo a desnutrição infantil e promovendo a chamada “Soberania Alimentar”;
  • retomar do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV);
  • reforçar os investimentos no programa Bolsa Família, incluindo aqueles que voltaram à pobreza no último Governo;
  • Implantar o programa nacional de apoio às atividades da economia social e solidária;
  • universalizar a banda larga barata e acessível para todos e todas, com efetiva implantação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL);
  • fortalecer as emissoras de rádio e TVs comunitárias;
  • criar um novo ciclo de políticas culturais;
  • reduzir desigualdades regionais;
  • promover o direito humano à água e ao saneamento.

Políticas para as mulheres

  • retomar a centralidade das políticas para as mulheres, afirmando o protagonismo das mulheres;
  • promover políticas que incentivem a autonomia econômica das mulheres, a igualdade de oportunidades e de tratamento no mundo do trabalho e o incentivo à produção de ciência e tecnologia pelas mulheres;
  • criar o Ministério das Mulheres;
  • integrar e ampliar os serviços e medidas preventivas de proteção e de atenção, como a Casa da Mulher Brasileira, e as promovidas pelo enfrentamento ao feminicídio, e com a Lei Maria da Penha;
  • promover a saúde integral da mulher para o pleno exercício dos direitos sexuais e reprodutivos.

Direitos humanos

  • Criar um Sistema Nacional de Direitos Humanos;
  • recriar, com status de ministério, as pastas de Direitos Humanos, Políticas para as Mulheres e para Promoção da Igualdade Racial;
  • democratizar largamente a comunicação social e impedir que beneficiários das concessões públicas e controladores das novas mídias restrinjam o pluralismo e a diversidade;
  • implementar as recomendações da Comissão Nacional da Verdade (CNV);
  • implementar e impulsionar ações afirmativas nos serviços públicos para corrigir as desigualdades raciais ainda fortemente presentes no mundo do trabalho;
  • elaborar e implementar o Plano Nacional de Redução da Mortalidade da Juventude Negra e Periférica;
  • promover o direito à vida, ao emprego e à cidadania LGBTI+, com prioridade para as pessoas em situação de pobreza;
  • criminalizar a LGBTIfobia, fortalecer o Sistema Nacional LGBTI+ e instituir a Rede de Enfrentamento à Violência contra LGBTI+;
  • investir na saúde integral LGBTI+, implementar programas e ações de educação para a diversidade, enfrentamento ao “bullying” e reversão da evasão escolar;
  • trazer políticas para enfrentar a mortalidade das pessoas travestis e transexuais e criar nacionalmente o Programa Transcidadania;
  • promover os direitos dos idosos e a inclusão pessoas com deficiência;
  • promover a igualdade racial e a garantia de direitos civis, políticos, econômicos, sociais, culturais e ambientais dos povos indígenas e negros.

Meio ambiente

  • Construir uma economia justa e de baixo carbono;
  • assumir a meta de taxa de desmatamento líquido zero até 2022;
  • mudar a matriz produtiva, adotando tecnologias verdes modernas, flexíveis e inteligentes;
  • promover a regularização fundiária dos territórios tradicionais e historicamente ocupados, o reconhecimento e demarcação das terras indígenas e assegurar a titularidade prioritária às mulheres nos lotes dos assentamentos nos programas de reforma agrária;
  • investir no fortalecimento das competências verdes já acumuladas (agroecologia, biocombustíveis, energia eólica, química verde etc.) e na construção de novas capacidades produtivas, tecnológicas e inovativas;
  • mobilizar recursos por meio de um conjunto políticas de financiamento público de baixo custo para promover a economia de baixo impacto ambiental e alto valor agregado;
  • realizar uma reforma fiscal verde, que progressivamente aumentará o custo da poluição e premiará investimentos e inovação de baixo carbono;
  • desonerar tributos sobre investimentos verdes e criar um tributo sobre carbono;
  • investir na modernização do sistema elétrico existente e aumentar a eficiência energética;
  • regular o grande agronegócio para mitigar os danos socioambientais, impedir o avanço do desmatamento e subordinar sua dinâmica aos interesses da soberania alimentar do País;
  • desenvolver uma estratégia nacional de educomunicação socioambiental e de programas voltados a escolas, instituições e territórios sustentáveis, inclusive programa de formação de educadores/as ambientais comprometidos com a transição ecológica.

eleicoes-2018-candidatos-presidencia-propostas-politicas-sociais-meio-ambiente-02

Propostas de políticas sociais de Geraldo Alckmin (PSDB)

eleicoes-2018-propostas-geraldo-alckimin

  • Criar um sistema único de aposentadoria;
  • incrementar o programa Bolsa Família, aumentando os benefícios para os mais necessitados.

Políticas para as mulheres

O plano de governo não cita especificamente políticas para as mulheres.

Direitos humanos

  • Estabelecer um pacto nacional para a redução de violência contra idosos, mulheres e LGBTI e incentivar a criação de redes não-governamentais de apoio ao atendimento de vítimas de violência racial e contra tráfico sexual e de crianças;
  • adotar políticas afirmativas para as populações negra e indígena, garantindo a igualdade de oportunidades (o programa de governo não aponta exatamente quais seriam essas medidas);
  • zelar pelo cumprimento dos dispositivos da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência e promover sua regulamentação;
  • oferecer proteção especial para o idoso, mediante programa de combate aos maus tratos, como também de acesso à moradia, educação e cursos profissionalizantes;

Meio ambiente

  • Adotar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) como referência no relacionamento externo brasileiro;
  • perseguir o cumprimento das metas assumidas no Acordo de Paris;
  • crescer de forma sustentável, sendo “firmes e técnicos na questão ambiental, evitando a politização e a visão de curto prazo que pautaram os debates ambientais”.

Propostas de políticas sociais de Guilherme Boulos (PSOL)

eleicoes-2018-propostas-guilherme-boulos

  • Garantir moradia para todos e o fortalecimento de políticas de moradia popular;
  • promover a regularização fundiária de moradias em favelas e empreendimentos populares, assim como a urbanização das favelas;
  • revisar o conceito de família utilizado nos programas habitacionais e de moradia e outros programas sociais e políticas públicas, para abarcar todas as famílias, independentemente da orientação sexual e/ou identidade de gênero de seus membros;
  • garantir a segurança hídrica nas regiões carentes.

Políticas para as mulheres

  • Defender que a atual “licença maternidade” seja transformada em “licença parental”, permitindo que cada casal administre a distribuição do tempo, sem distinção legal entre pai e mãe ou por orientação sexual e/ou identidade de gênero;
  • criar o Pacto Nacional contra a Violência e Pela vida das Mulheres, destinando 1% do PIB para combate à violência contra a mulher;
  • reduzir a desigualdade de gênero no mundo do trabalho e garantir a proteção legal às empregadas domésticas;
  • promover políticas de combate à violência doméstica, destinação de recursos necessários para a plena aplicação da Lei Maria da Penha;
  • desenvolver programas de educação sexual, de prevenção da DST/AIDS e planejamento familiar para homens e mulheres com garantia de acesso permanente a diversos métodos anticoncepcionais e contraceptivos, inclusive pílula do dia seguinte;
  • descriminalizar e legalizar o aborto de forma segura e gratuita nos termos do PL 882/2015;
  • reduzir a desigualdade de gênero no mundo do trabalho;
  • reconhecer a identidade de gênero para mulheres transexuais e oferecer a atenção necessária à sua saúde de forma despatologizada;
  • tipificação do feminicídio de travestis e transexuais.

Direitos humanos

  • Criar uma nova Comissão da Verdade que apure os crimes do Estado cometidos nas últimas décadas, após o fim da ditadura (maio de 2006, Massacre do Carandiru, genocídio da população negra etc.);
  • enfrentar o genocídio da população negra, com medidas como o fim dos autos de resistência, que “’legalizam’ as execuções extrajudiciais”;
  • recriar o ministério específico com o nome de Secretaria Especial de Políticas de Combate ao Racismo;
  • criar o Fundo de Políticas de Combate ao Racismo;
  • promover políticas de formação e emprego para pessoas transexuais e travestis;
  • criar um programa de acolhimento, moradia e inclusão social para as pessoas trans expulsas do lar familiar e/ou em situação de rua;
  • assumir a defesa irrestrita do estado laico, da liberdade de crença e de não crença, das liberdades individuais e da igualdade de direitos e oportunidades para LGBTIs;
  • reconhecer o casamento civil igualitário e garantir a todos os casais, do mesmo ou de diferente sexo, os mesmos direitos na lei.

Meio ambiente

  • Desapropriar imediatamente terras de empresas que são responsáveis por grandes tragédias sociais e ambientais;
  • demarcar territórios indígenas;
  • promover a Reforma Agrária Popular e Agroecológica;
  • implementar o “desmatamento zero” e manejo e restauração das florestas com espécies nativas;
  • proteger as águas e sistemas hídricos;
  • defender as águas e sistemas hídricos, assim como os bens comuns e direitos da natureza;
  • instalar uma transição energética e produtiva, visando superar o uso dos combustíveis fósseis.

Henrique Meirelles (MDB)

eleicoes-2018-propostas-henrique-meireles

Políticas para as mulheres

  • Incentivar a redução da diferença salarial entre homens e mulheres, respaldado pela nova lei do trabalho aprovada em 2017;
  • apesar de não dizer como combatê-la, o plano de governo reconhece e cita a dupla jornada de trabalho.

Meio ambiente

  • Seguir com os objetivos do Acordo de Paris, elevando a participação de bioenergia sustentável na sua matriz energética, incentivando o reflorestamento e estimulando o investimento em energias renováveis;
  • acelerar programas de redução do desmatamento na Amazônia, de recuperação de nascentes e de revitalização do Rio São Francisco;
  • converter multas ambientais em novos recursos para serem usados em programas de conservação e revitalização do meio ambiente.

Propostas de políticas sociais de Jair Bolsonaro (PSL)

eleicoes-2018-propostas-jair-bolsonaro

  • Redirecionamento da política de direitos humanos, priorizando a defesa das vítimas da violência;
  • redução da maioridade penal para 16 anos;
  • instituir uma renda mínima para todas as famílias brasileiras acima do valor do Bolsa Família;
  • modernizar e aprimorar o Programa Bolsa Família e Abono Salarial, com vantagens para os beneficiários;

Políticas para as mulheres

  • Combater o estupro de mulheres e crianças.

Meio ambiente

  • utilizar o Nordeste como base de matriz energética limpa, renovável e democrática;
  • produzir, instalar e manter painéis fotovoltaicos;
  • estuda colocar em seu plano de governo uma proposta de planejamento familiar, mas não a detalhou. No entanto, em diversos discursos proferidos ao longo de sua carreira, defendeu a adoção pelo Estado de um rígido programa de controle de natalidade, com foco nos pobres.

Propostas de políticas sociais de João Amoêdo (NOVO)

eleicoes-2018-propostas-joao-amoedo

  • Manter e melhorar o Bolsa Família;
  • rever demais programas sociais para que beneficiem os brasileiros mais pobres;
  • criar portas de saída dos programas sociais e da pobreza via mercado de trabalho e qualificação profissional;
  • aumentar a renda dos 20% mais pobres;
  • unificar e simplificar a distribuição de recursos de assistência social via cadastro único eficiente e cartão eletrônico;
  • promover transparência completa e avaliação de políticas públicas por entidades independentes.

Políticas para as mulheres

O plano de governo não cita especificamente políticas para as mulheres.

Meio ambiente

  • Promover o saneamento e recuperação dos rios, baías e praias do Brasil em parceria com o setor privado;
  • reduzir definitivamente desmatamento ilegal na Amazônia Legal, com mais tecnologia e fiscalização;
  • determinar o fim dos lixões em todo o País através de consórcios municipais e parcerias com o setor privado;
  • ampliar a energia renovável na matriz energética e fim dos subsídios à energia não-renovável, como gasolina e diesel;
  • aplicar o Código Florestal;
  • avançar no cadastro ambiental rural e mais cooperação entre órgãos envolvidos.

Propostas de políticas sociais de Marina Silva (Rede)

eleicoes-2018-propostas-marina-silva

  • Promover e fortalecer políticas para um planejamento urbano integrado, de cidades e regiões metropolitanas, que garanta, além do direito à moradia, acesso a meios de transporte coletivos, coleta de resíduos, saneamento básico e serviços públicos de qualidade;
  • preservar programas de transferência de renda, como o Bolsa Família, e associá-los às condições para a inclusão produtiva e garantia do direito a oportunidades;
  • fortalecer programas de habitação popular, que atendam a diversidade de situações urbanas e familiares, e que respondam, em especial, às necessidades dos mais pobres, com padrões urbanísticos, arquitetônicos e ambientais adequados.

Políticas para as mulheres

  • Promover as ações de saúde integral das mulheres e de seus direitos reprodutivos e sexuais, envolvendo ações preventivas e efetividade dos Programa de Planejamento Reprodutivo e Planejamento Familiar, além da oferta de contraceptivos pelas farmácias populares e estímulo ao parto humanizado;
  • prevenir e atender a gravidez na adolescência;
  • promover políticas que enfrentem a discriminação no mercado de trabalho, com o objetivo de garantir igualdade salarial;
  • oferecer apoio ao empreendedorismo feminino, por meio de acesso a crédito e microcrédito e capacitação profissional;
  • ampliar o tempo de licença paternidade e a construção de um modelo que possibilite uma transição gradual para um sistema de licença parental;
  • promover a ampliação das políticas de prevenção à violência contra a mulher, o combate ao feminicídio e a qualificação da rede de atendimento às vítimas.

Direitos humanos

  • Combater, ainda na escola, qualquer tipo de discriminação;
  • promover o bem de todos sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade, orientação sexual (LGBTIs), condição física, classe social, religião e quaisquer outras formas de discriminação;
  • garantir e ampliar a oferta de tratamentos e serviços de saúde integral adequados às necessidades da população LGBTI;
  • ampliar os investimentos em saneamento, mantendo-os em ritmo constante e progressivo, garantindo previsibilidade e distribuindo-os melhor no território nacional;
  • combater o tráfico interno e internacional de pessoas, bem como o turismo sexual;
  • promover políticas de inclusão, de igualdade de oportunidades e de remuneração no mercado de trabalho para a população negra, assim como povos e comunidades tradicionais;
  • investir em políticas de prevenção e combate à violência, priorizando ações específicas para frear o alto índice de homicídios de jovens negros no Brasil e o combate aos crimes de ódio ligados ao racismo;
  • criar políticas de fomento a atividades econômicas de povos e comunidades tradicionais, com atenção às suas especificidades culturais, retomando e ampliando o Plano Nacional de Promoção dos Produtos da Siociobiodiversidade;
  • promover a demarcação de terras indígena e o reconhecimento e titulação de terras quilombolas;
  • implementar ações para a efetiva investigação e punição de crimes ambientais e violações de direitos humanos dessas comunidades e o reconhecimento de saberes, culturas e inovações dos diferentes povos;
  • criar políticas de prevenção e combate a todas as formas de violência e discriminação contra cidadãos LGBTIs, garantir o acesso ao mercado de trabalho e estimular o empreendedorismo;
  • priorizar ações específicas para frear o alto índice de homicídios e violência física contra LGBTIs;
  • defender que seja oferecido tratamento igual aos casais adotantes, com todas as exigências e cuidados iguais para ambas as modalidades de união, homo ou heteroafetiva, atendendo à prioridade de garantir o melhor interesse da criança;
  • fortalecer a cidadania de pessoas com deficiência, complementarmente ao seu acesso ao mercado de trabalho, às atividades culturais e esportivas, à participação política e ao acesso à educação e à saúde;
  • implementar políticas de proteção aos idoso;
  • reformular as políticas relativas ao primeiro emprego, levando em conta as diferentes realidades do universo juvenil.

Meio ambiente

  • Investir em pesquisa e inovação tecnológica para tornar mais eficientes e reduzir os custos, as emissões de gases de efeito estufa e o consumo de energia, nos sistemas de coleta e tratamento de esgoto;
  • promover campanhas educativas e adotaremos políticas públicas que induzam a adoção de práticas de economia no uso da água;
  • lançar um programa de incentivo à preservação e recuperação dos mananciais das cidades brasileiras;
  • recuperar nascentes e revitalizar sub-bacias em áreas urbanas e periurbanas;
  • promover políticas para a redução, reutilização, reciclagem dos resíduos sólidos, tendo como horizonte uma política de lixo zero;
  • implementar políticas que promovam o bem-estar dos animais no País, seja os de produção, para consumo humano, de estimação, de trabalho, selvagens ou os de laboratório.

Fotos: Fotolia e Divulgação/TSE

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Ana Paula de Araujo
Ana Paula de Araujo
Repórter e produtora, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) anapaula@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

sindrome-de-burnout-entenda-os-sintomas-e-como-evitar

13 de dezembro de 2019

A Síndrome de Burnout ou esgotamento profissional, é um distúrbio provocado por condições desgastantes no ambiente de trabalho. Saiba mais.

descubra-como-organizar-as-financas-ganhando-pouco-dinheiro

18 de novembro de 2019

É possível organizar as finanças e poupar para realizar seus sonhos, mesmo ganhando pouco dinheiro. Confira as dicas da collab com o canal Finanças com a Nath.

descubra-como-o-vies-inconsciente-pode-prejudicar-a-sua-vida-profissional

18 de outubro de 2019

Certamente você já julgou o livro pela capa. O viés inconsciente afeta a maneira como nós vemos as pessoas e também como outras pessoas nos vêem. Isso pode prejudicar a sua vida profissional, mas tem jeito de mudar esse comportamento. Saiba mais.

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas