Escolhendo investimentos pelo nível de risco

21 de agosto de 2019 - Por

escolhendo-investimentos-pelo-nivel-de-risco

quem ama, compartilha!

Por várias vezes já falamos aqui sobre os benefícios de planejar as aplicações financeiras. Uma vida financeira bem organizada permite margem para aplicações e melhoria da qualidade de vida com base não somente na força de trabalho, mas também da rentabilidade de cada ativo escolhido pela investidora. É aquela velha história que já conhecemos sobre fazer o seu dinheiro trabalhar por você.

Se você tem o interesse em começar a investir mas ainda sente-se perdida quanto ao que vai escolher para direcionar seu dinheiro, vamos te apontar alguns pontos que devem ser avaliados antes da escolha de qualquer aplicação financeira. Antes de mais nada, você precisa conhecer bem o nível de risco das suas aplicações. Não sabe ao certo o que é isso? Na verdade não tem muito segredo, o nível de risco aponta a probabilidade de ganho e de perda de um determinado investimento.

Títulos públicos ou privados

Caso você opte por comprar títulos públicos do governo ou mesmo títulos emitidos por empresas privadas (as famosas debêntures), o nível de risco desses investimentos pode ser medido pelas agências de rating. Elas fazem o trabalho de avaliar qual o risco de calote dos governos e das empresas. Atualmente, as agências mais conhecidas que fazem esse tipo de trabalho são Standard & Poor’s, Moody’s e Fitch.

Como fazer uma aplicação financeira?

O nível de risco de suas aplicações também vai variar de acordo com seu perfil financeiro. O fato é que, quanto maior o potencial de ganho do seu investimento, maior também o nível de risco. Com investimentos mais conservadores (caderneta de poupança, CDBs, tesouro direto) os retornos são mais baixos do que algumas aplicações mais arriscadas, mas em compensação os riscos de perdas são bem menores.

escolhendo-investimentos-pelo-nivel-de-risco

Sendo assim, o risco que você irá assumir vai depender se sua personalidade for mais conservadora, moderada ou agressiva na hora de montar sua carteira de investimentos.

Rentabilidade

Se sua ideia é fazer algum tipo de aplicação financeira mais arriscada, como um fundo de ações, o ideal é que você tenha o objetivo de ver a rentabilidade disso somente a longo prazo. Dessa forma, você tem tempo de recuperar-se em caso de uma grande perda. Assumir o risco de um investimento mais ousado e precisar do retorno em questão de meses pode ser bem perigoso e não é aconselhável.

Se seu interesse for em aplicar o dinheiro a curto prazo, o melhor é investir naqueles ativos com menor risco. O ganho é menor, mas o risco de prejuízo é igualmente reduzido.

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

 

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Financas Femininas
Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

Leia em seguida

faq-da-investidora-como-investir-meu-dinheiro-durante-a-crise-financeira

29 de abril de 2020

A crise financeira decorrente do novo coronavírus está deixando as investidoras preocupadas. Sandra Blanco, estrategista-chefe da Órama, dá dicas de como investir e proteger o seu dinheiro. Confira!

5-perguntas-para-fazer-a-sua-assessora-de-investimentos

23 de janeiro de 2020

Se você tem dúvidas sobre como investir e qual o melhor investimento, não fique preocupada. Sua assessora de investimentos pode te ajudar. Descubra!

descubra-os-6-erros-comuns-de-investidoras-iniciantes

10 de dezembro de 2019

O frio na barriga e a insegurança de começar a investir podem atrapalhar as decisões das investidoras iniciantes. Veja como encarar o medo.

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas