Gastos com carro em um ano podem chegar a metade do seu valor total

22 de setembro de 2015 - Por

gastos-carro-metade-valor

quem ama, compartilha!

A venda de carros não tem mais aquele incentivo de isenção de IPI e as condições de financiamento já não chamam tanto a atenção da população, tendo em vista a dificuldade de manter espaço no orçamento para dívidas longas em um cenário de inflação e juros altos. Ainda assim, na tentativa de reagir ao mau momento, muitas concessionárias valem-se daquela velha tática de anunciar um produto com um preço que não é real.

Por exemplo, o comercial anuncia o carro por R$ 29.900,00, mas quando você chega na concessionária, descobre que precisa pagar taxas ou acrescentar itens básicos que não estão incluídos neste valor. Se mesmo em um cenário longe do ideal a vontade de comprar um carro continua martelando em sua cabeça, é hora de colocar os gastos na ponta do lápis para avaliar se você realmente quer embarcar nessa. Abaixo, vocês verão que os custos gerados por um veículo em um ano podem representar praticamente metade de seu valor total.

Para fazer essa conta, vamos simular alguns valores e avaliar o quanto do valor total do carro ele representa. Suponhamos que você esteja interessada em comprar um carro de R$ 39.900,00.

A primeira despesa é o seguro do veículo. Considerando um valor correspondente a 5% do preço do carro, o seguro sai por R$ 1.995,00. Em seguida, temos o IPVA, que costuma corresponder a 4% do valor do veículo. Somamos então R$ 1.596,00. Considere também o DPVAT no valor de R$ 101.

Vamos supor que, ao longo do ano, o carro gere uma despesa com manutenção no valor de R$ 800. Além disso, considerando o combustível a um preço médio de R$ 3, se o carro tiver um tanque de 40 litros, são necessários R$ 120 para enche-lo. Se o carro fosse usado diariamente, o tanque seria suficiente para durar uma semana, ou seja, R$ 480 por mês. Em um ano, são R$ 5,760, 00 gastos somente com o combustível!

custos carro

Por último, é preciso também considerar a depreciação do veículo. Já ouviu falar naquela história de que o carro desvaloriza já no momento em que você o tira da concessionária? Pois é, isso é cruel, mas verdadeiro. Em média, um carro 0 km desvaloriza cerca de 10% no período de um ano. Sendo assim, para o valor simulado, você teria R$ 3.990,00 em depreciação.

Levando em consideração tudo isso, em um ano, o gasto com o carro seria de R$ 14.242,00. Isso representa simplesmente 35,7% do valor do veículo! Note que estamos fazendo essa simulação sem considerar os custos do financiamento. Este seria o custo total considerando o carro já quitado. Se o carro, no entanto, fosse financiado, considerando uma parcela de R$ 450,00, as despesas sobem para R$ 19.642,00 por ano, ou seja, 49% do valor do carro. Em 12 meses, seus gastos podem chegar a praticamente metade do valor do veículo.

Na concessionária a conta não parece tão assustadora, não é verdade? Pois bem, estamos apresentando a vocês a despesa calculada longe da perspectiva do vendedor. Analise se um carro é realmente tão necessário em sua vida. O impacto dele em seu bolso vai muito além do que aparece na propaganda.

Fotos: Shutterstock

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Financas Femininas
Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

Leia em seguida

cadastro-positivo

10 de abril de 2019

Agora, todos serão automaticamente incluídos no Cadastro Positivo do Serasa, SPC e afins. Seus dados estão seguros? Quais são as vantagens? Descubra!

consumismo-consumo-divida-leitora-financas-femininas 01

27 de março de 2019

Por causa do consumismo, ela causou um grande estrago em seu orçamento. Como ir da absoluta falta de controle ao comando sobre sua grana? Nossa leitora conta como fez!

investir-ou-quitar-dividas

18 de março de 2019

Você quer investir, mas tem uma dívida pendente. É melhor quitar a dívida ou aplicar essa grana? Se você errar, pode arruinar seu bolso! Veja a resposta.

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas