Generosidade feminina atrapalha a formação da aposentadoria

6 de julho de 2015 - Por

generosidade-feminina-aposentadoria

quem ama, compartilha!

Ser generosa é certamente muito positivo, mas a característica pode tornar-se uma pedra no sapato se suas prioridades são deixadas em segundo plano para colaborar com os outros. Estudo feito pela Mercer, empresa especializada em consultoria em Recursos Humanos, mostra que a generosidade feminina pode ser um empecilho para a formação de uma boa aposentadoria.

“Ao contrário do homem, a mulher pensa inicialmente no bem-estar da família. Depois de garantir os gastos com o bem-estar da família, ela vai pensar em poupar para o seu futuro (com o que sobra). O homem é o contrário! Ele primeiro poupa e o que ‘sobra’, ele gasta com a família”, ressalta Carolina Mazza, executiva da Mercer.

A pesquisa, intitulada When Will Women Thrive? (Quando as mulheres vão prosperar?, em tradução livre), mostra que globalmente ainda existe uma grande lacuna entre homens e mulheres em cargos de liderança. Na média global, a participação feminina na base da mão de obra das empresas é superior à masculina. Elas representam 56%, enquanto eles compõem 44%. Em contrapartida, nos cargos de liderança, a participação feminina cai para 19%, contra 81% do público masculino.

A tendência é que essa lacuna diminua na próxima década, mas ainda há muito o que ser feito a longo prazo. O estudo mostra que as novas políticas de desenvolvimento de talentos que vem sendo adotadas vão possibilitar a ascensão das mulheres a cargos de liderança. Regionalmente, hoje a ala feminina representa somente 12% dos cargos de liderança da América Latina. A projeção é que esse percentual suba para 39% até 2024. Na Europa e na Oceania, a expectativa é de que o percentual de mulheres em postos de liderança suba de 18% para 47% em dez anos.

Promover a igualdade de gênero melhora os resultados das empresas

Sobre a acensão das mulheres aos cargos de liderança nos próximos anos, a executiva ressalta o benefício não só para nós, mas para as próprias organizações. “Uma maior participação feminina invariavelmente estimula a diversidade de pensamento e opiniões. Está provado que empresas que promovem diversidade trazem maiores resultados – pessoas que pensam diferente trabalhando juntas produzem mais de forma inovadora e atendem os clientes de formas diferentes. Mulheres pensam mais no coletivo do que no individual e neste aspecto também enxergam a organização de uma forma mais ampla”, afirma.

Além dos aspectos que ainda precisam ser mudados nas culturas de muitas empresas, Carolina ressalta que a mulher precisa acreditar mais em si mesma e negociar melhor seu salário desde a entrada no mercado de trabalho. “Não é porque as mulheres têm acesso à licença maternidade (por exemplo) que devem se sentir inferiores aos homens, elas vem produzindo tanto ou mais que homens! Mulheres também tendem a ser melhores gestoras de pessoas”, afirma.

Entre algumas medidas que deveriam ser incentivadas com mais frequência nas corporações para possibilitar o aumento da retenção de talentos femininos, a especialista destaca a questão da flexibilização no trabalho.

diversidade-generos

Pontos-chave para promover igualdade de gênero

Mudança sustentável: Empresas que apostam em soluções sustentáveis e holísticas têm maiores possibilidade de reter talentos femininos.

Números não são o suficiente: Ampliar a quantidade de mulheres em cargos de liderança, porém sem incentivar políticas que promovam a diversidade não adianta. Organizações nas quais os líderes estão ativamente envolvidos em programas de diversidade, possuem mais mulheres no topo e em toda a organização, bem como os talentos se desenvolvem de forma igualitária entre homens e mulheres.

Mudanças nos programas de suporte aos funcionários: Gerenciar as carreiras femininas de forma proativa traz melhores resultados do que simplesmente adotar programas que dão suporte às necessidades das mulheres. Garantir equiparação de salários e que homens e mulheres tenham acesso a benefícios de forma igualitária, são formas de obter melhores resultados com a diversidade de gêneros.

Pensar fora da caixa: Soluções fora dos padrões tradicionais trazem mais impacto para as organizações e ampliam as possibilidades da empresa reter talentos a longo prazo. Exemplo: Modelos de aposentadoria customizados, considerando as diferenças no comportamento feminino e masculino e as necessidades de cada um.

Valorização das habilidades de cada um: Homens e mulheres oferecerem às empresas habilidades diferentes, mas com igual importância.

Crédito das fotos: Shutterstock

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Financas Femininas
Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

Leia em seguida

video-aprenda-a-combater-a-sindrome-do-impostor-1

12 de agosto de 2019

Sabe quando bate aquela insegurança acompanhada de uma vozinha que fica martelando na sua cabeça que você não é boa o suficiente? Ou que você não merece a tão desejada promoção, por exemplo? E também a sensação que todas as suas conquistas, principalmente, na vida profissional foram pura sorte? Você não está sozinha. Continue aqui […]

atitudes-antiprofissionais-que-você-não-nota

22 de julho de 2019

Alguns comportamentos no ambiente de trabalho são automáticos. Será que, com isso, você anda tendo atitudes antiprofissionais sem perceber?

16 de julho de 2019

Nesta terça (16), Carol Sandler, fundadora do Finanças Femininas e coaching financeira dá um grande passo em sua carreira com o lançamento da TV Carol, a primeira TV digital por streaming de uma influenciadora brasileira. A nova plataforma vai expandir horizontes e ampliar o alcance dos conteúdos sobre educação financeira para empoderar mais mulheres. Será […]

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas