Gerente de banco – dá pra confiar?

21 de novembro de 2018 - Por

gerente-de-banco(2)

quem ama, compartilha!

Ele ou ela é uma pessoa agradável, ajuda a resolver seus problemas e tem um jeito de falar mansinho. Trabalha sempre de roupa social e tem uma longa fila de gene que quer conversar com eles. Além do mais, esbanja simpatia e sorrisos. Sabe quem é esta pessoa? Seu gerente de banco!

Quando temos algum problema bancário, a primeira pessoa que buscamos ajuda são eles. Sempre que podem, tentam oferecer um pacote interessante ou uma nova possibilidade de investimento. E aí, dá pra confiar? Ligue seu radar e fique esperta com as nossas dicas sobre essa relação.

1 – Conversa boa

Quando nos sentamos em frente ao gerente do banco, normalmente a conversa é boa e descontraída. Ele faz ligações necessárias e sempre resolve seu problema. Entre essas e outras, você acaba criando gosto pela “relação” que tem. O problema é quando você passa a acreditar que são amigos.

2 – Atingir metas

Independente do que o seu gerente te falar quando estiverem frente a frente, lembre-se que ele é um profissional e trabalha para uma empresa que lucra com o seu dinheiro. Pense bem antes de confiar em todas as indicações e ofertas, porque ele cumpre metas para vender determinados produtos e serviços do banco, que nem sempre são o que você precisa – na maioria das vezes, é o que ele precisa!

3 – Negociar investimentos

Esse é o maior risco na relação com um gerente de banco. Obviamente ele tem ofertas, pacotes e investimentos incríveis para você. Jamais confie 100%! Ele tem os seus próprios interesses e é instruído a vender aquelas aplicações que o chefe dele mandou. Por isso, na hora de investir, vale procurar um planejador financeiro independente que te ajude sem ter amarras com outros.

gerente-de-banco(1)

O segredo nessa hora é ler o contrato do investimento atentamente, entender quais são as taxas cobradas, os riscos envolvidos e a liquidez da aplicação. Lembre-se da taxa de administração, que deve ser em torno de 1,5% para a maioria dos investimentos. Se cobrarem cerca de 3%, é furada. Mas ainda assim, pesquise: certas aplicações não tem taxa de administração, mas também não rendem nada…

4 – Segunda opinião

Se estiver se sentindo insegura, é hora de procurar uma segunda opinião. Leia, consulte uma amiga que entende de investimentos e relacione seu caso com o cenário econômico do país. Nunca feche nada apenas para agradar a outra parte. Pense primeiro em você!

Fotos: AdobeStock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

carolinaruhman
Carol Sandler
Carol Sandler é fundadora do Finanças Femininas, a maior plataforma online do Brasil de empoderamento feminino através da educação financeira. Apresenta o quadro "Carol, cadê meu dindin" semanalmente no programa SuperPoderosas, da TV Band. Autora do livro "Detox das Compras (Saraiva, 2017) e coautora do livro “Finanças Femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015), junto com o economista Samy Dana. Estudou Jornalismo na PUC-SP e Economia e Relações Internacionais no Institut d’Études Politiques de la France, em Paris. Colunista do site da revista CLAUDIA e do portal Tempo de Mulher.

Leia em seguida

conta-corrente-tarifas-direitos-do-consumidor-01

15 de março de 2019

Você conhece todas as tarifas cobradas pelo seu banco? Nem toda conta corrente tem tarifas. Conheça os direitos do consumidor quando o assunto são tarifas.

conta-corrente-sem-tarifa-bancaria

4 de janeiro de 2018

Estudo do Idec mostrou que o reajuste chegou a 78,88% em um pacote da Caixa. Veja quais foram as demais tarifas bancárias que subiram e fique de olho!

mais-de-uma-conta-bancaria

10 de agosto de 2017

Há quem se dê bem tendo mais de uma conta bancária, mas há quem acabe até mesmo endividada. Em qual lado você está? Essas dicas ajudam a descobrir!

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas