Gestão de conflitos: como lidar com divergências políticas no trabalho

Gestão de conflitos: como lidar com divergências políticas no trabalho

As eleições apenas evidenciaram o quão polarizadas as pessoas estão quando o assunto é política – e as discussões acaloradas chegaram ao ambiente de trabalho. Neste cenário, pensar em gestão de conflitos é fundamental, seja você colaboradora ou líder.

Segundo levantamento do Instituto Ipsos realizado em 27 países, incluindo o Brasil, divergências políticas são a principal causa de tensão entre pessoas no mundo todo. Essas diferenças foram eleitas por 44% dos 20 mil entrevistados como um dos motivos causadores de conflitos entre familiares e amigos. No Brasil, este percentual sobe para 54%.

Se na vida pessoal estes confrontos já podem causar alguns estragos, imagine só no meio profissional, quando o que está em jogo é seu emprego. Por isso, reunimos algumas dicas para te ajudar a lidar com estes conflitos no trabalho.

Política: como lidar com conflitos no ambiente de trabalho

1) Discuta ideias (e somente ideias)

Quem diz que política não se discute corre o sério risco de acabar alienado da realidade. Política se discute, sim, desde que a conversa permaneça no campo das ideias, sem ataques pessoais. No entanto, não quer dizer que seja tarefa fácil: ambas as partes devem praticar calma e respeito, acima de tudo. Ter argumentos sólidos para embasar seu ponto de vista ajuda a manter o debate produtivo.

2) Pratique a escuta ativa

Mesmo com pontos de vista divergentes, sempre podemos aprender algo com o outro. Com um pouco de empatia e vontade de ouvir, você pode aprender mais como pensam as pessoas com opiniões diferentes da sua e, quem sabe, reconsiderar algo de seu ponto de vista. Por mais que você não concorde, abra-se para ampliar sua visão de mundo – essa é uma das melhores táticas de gestão de conflitos no trabalho.

gestao-de-conflitos-divergencias-politicas-trabalho 02

3) Saiba quando parar de discutir

Quando seu colega ou chefe não está disposto a ouvir e aberto ao debate, não adianta forçar a conversa. Além de pouco produtivo, essa situação pode gerar grande desgaste no seu emocional e na equipe.

4) Resguarde-se

Discussões acaloradas podem trazer grandes dores de cabeça no ambiente de trabalho e, infelizmente, nem todos chefes são tolerantes com quem pensa diferente deles. Por isso, você deve ter o feeling não apenas de saber quando parar, mas também ativar seu instinto de sobrevivência. Isso não significa fingir concordar com as opiniões mas, sim, saber quando vale a pena discutir e quando ignorar é a melhor opção.

5) Repense

Divergências políticas não são apenas divergências políticas. Opiniões não surgem do nada e, geralmente, são embasadas pela história, vivência e até mesmo preconceitos do outro. Por isso, se você sentir que essas situações estão te isolando do grupo, incomodando além da conta e até mexendo com sua saúde mental, pode ser o momento de repensar se você realmente está no lugar certo. Sim, o mercado de trabalho não está farto de vagas, mas vale a pena se dar a chance de um recomeço. Atualize seu currículo e procure um lugar em que você se sinta mais confortável.

Fotos: AdobeStock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Você gostou desse conteúdo?

Ana Paula de Araujo

Ana Paula de Araujo

Repórter, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) anapaula@financasfemininas.com.br

close