Imposto de Renda: como preparar sua declaração

25 de fevereiro de 2019 - Por

imposto_de_renda_2017

quem ama, compartilha!

A Receita Federal divulgou as datas que os contribuintes deverão fazer a declaração de Imposto de Renda para Pessoas Físicas (IRPF) e, atenção, pois este ano o prazo será menor: de 7 de março a 30 de abril. Se você mesma que cuida da sua declaração, fique esperta, pois o Programa Gerador da Declaração (PGD) estará disponível para download em breve.

Este ano contará com uma série de novidades na declaração de IR. Então, para não correr o risco de cometer algum erro e acabar caindo na malha fina, é importante organizar-se e iniciar o processo com antecedência.

Para ajudá-la a evitar atropelos, conversamos com Jaime Rodrigues, mestre em contabilidade e sócio da Trevisan Gestão e Consultoria, e Humberto Rocha, professor da Saint Paul Escola de Negócios. Confira este passo a passo de como preparar sua declaração com tranquilidade.

1) Reúna os documentos necessários para a declaração de IR

Todas as movimentações declaradas precisam de documentos que as comprovem. Isso vale tanto para aumento quanto diminuição no patrimônio. Por isso, o primeiro passo para evitar erros na declaração é garantir que todos os comprovantes estejam devidamente reunidos. “O fisco não exige juntada de documentos na entrega da declaração, porém poderá solicitar a qualquer momento comprovação do que foi declarado”, diz Rodrigues.

O especialistas orientam que as pessoas não devem deixar para pensar na declaração apenas na hora da entrega: a documentação deve ser reunida sempre que houver uma nova movimentação. “Além de facilitar a declaração, isso permite ao indivíduo verificar se existe algum benefício fiscal que possa ser realizado, reduzindo o imposto a pagar”, diz Rocha.

Esse processo de preparo será muito útil para que você possa se organizar. Dependendo da quantidade de movimentações que teve durante o ano, a documentação pode ser vasta, por isso, é importante pesquisar e prestar atenção específica a cada caso. Aqui separamos alguns dos principais documentos a serem reunidos:

imposto_de_renda_2017_interna

  • Informes de rendimentos: os rendimentos são a base do Imposto de Renda. Nos informes, as fontes pagadoras – como empregadores, bancos, corretoras e Previdência Social – reúnem todas as informações de pagamentos feitos a você ao longo do ano, destacando os impostos retidos na fonte. “Este documento é de suma importância para comprovar não só os rendimentos declarados, como os impostos retidos”, explica Rodrigues. Neste ano, a Receita Federal deu até o dia 27 de fevereiro para entrega do Dirf (declaração de Imposto de Renda retido na fonte). Caso os rendimentos tenham sido pagos por pessoas físicas ou vindos do exterior, eles devem ser declarados e os impostos recolhidos por meio do carnê-leão, mensalmente.
  • Comprovante de aquisição ou venda de bens: a compra ou venda de bens e direitos, como imóveis, veículos e afins, também precisa ser declarada. É importante sempre ter em mãos o nome completo do adquirente ou vendedor, endereço e CPF ou CNPJ. “Os valores declarados devem ser os efetivamente recebidos. O fisco tem a sua movimentação bancária em mãos, portanto qualquer valor recebido diferente do constante em contrato poderá ser questionado com facilidade”, explica Rodrigues.
  • Comprovantes de despesas dedutíveis: para aproveitar deduções com saúde e educação, por exemplo, também é importante reunir a documentação que comprove os gastos, sempre consciente dos limites. Os comprovantes de saúde devem trazer informações como nome da empresa ou profissional, CNPJ ou CPF, endereço do local e procedimento realizado. Em relação à educação própria ou de dependentes, é importante que haja o nome e CNPJ da instituição.
  • Outros documentos: recibos de doações feitas ou recebidas, comprovantes de aluguéis, carnês de contribuições feitas ao INSS de empregados domésticos, comprovantes referentes à compra e venda de ações, empréstimos e financiamentos, pensão alimentícia, herança recebida etc.

2) Organize a declaração de dependentes

A partir deste ano, para fazer a declaração dos dependentes, será necessário apresentar o CPF daqueles que tiverem mais de 12 anos – antes, o documento só era necessário para maiores de 14 anos.

“Se declarado dependente, todo rendimento obtido por este deve fazer parte da sua declaração. Os bens registrados em nome dele também devem ser declarados na sua declaração”, explica Rodrigues. Além disso, Rocha afirma que é necessário sempre atentar-se aos limites autorizados pela Receita Federal.

3) Use o Meu Imposto de Renda

Ele substituiu o m-IRPF, a retificadora on-line e o rascunho ainda em 2018 e está disponível via app para Android e iOS e, no computador, no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC).

4) Informe-se sobre as mudanças na declaração de IRPF

Este ano, a Receita Federal caprichou nas mudanças na hora de declarar o Imposto de Renda. Por exemplo, a partir de agora, será exigido preencher o CPF de todos os dependentes incluídos na declaração, independente da idade – sim, até mesmo menores de 8 anos. Além disso, quem apresentar inconsistências já será informado se caiu na malha fina em 24 horas depois da inclusão dos dados. Clique aqui e confira outras mudanças.

5) Faça o preenchimento da declaração de imposto de renda com calma

Preencher a declaração exige muita atenção. É necessário conferir todos os números, valores e informações. Por isso, é fundamental ler as instruções antes de começar e tirar um tempo para fazê-lo com calma.

6) Se necessário, busque ajuda profissional

Para evitar erros, é fundamental certificar-se de que está seguindo o caminho correto na declaração. Se achar necessário, pode ser interessante buscar ajuda de um profissional. Da mesma forma, Rodrigues explica que é importante buscar assessoria tributária sempre que for realizar uma movimentação financeira ou patrimonial. “Assim, serão analisadas e tomadas medidas para diminuir os riscos e minimizar a carga tributária”, finaliza.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Mariana Ribeiro
Mariana Ribeiro
Jornalista com sotaque e alma do interior. Longe das finanças, passa o tempo atrás de música brasileira, rolês baratos e ônibus vazios. Acredita que o mundo seria outro se as pessoas tentassem se ver.
Fale comigo! :) mariana@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

ir_duvidas

11 de março de 2019

MEI precisa fazer declaração de Imposto de Renda? A partir de qual renda precisa fazer a DIRPF? Como declarar consórcio e previdência privada? Descubra!

mei-declara-ir

18 de abril de 2018

Afinal, quem é MEI declara Imposto de Renda? Quem precisa declarar IR? Especialista esclarece essa e outras dúvidas de microempreendedores individuais.

bale-rouanet

28 de novembro de 2017

Você sabia que é possível doar parte da sua restituição do Imposto de Renda à projetos que recebem investimentos da Lei de Incentivo à Cultura? Confira como!

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas