Inadimplência: bancos poderão reduzir limite do cartão de crédito

1 de novembro de 2018 - Por

cartao-de-credito-novas-regras(2)

quem ama, compartilha!

Para quem costuma utilizar o cartão de crédito com frequência, atenção: a partir de agora, os bancos poderão acelerar a redução do limite de clientes com maior risco de inadimplência. A medida do Conselho Monetário Nacional (CMN), anunciada nesta segunda-feira (29/10), visa melhorar o gerenciamento de riscos e controlar o spread bancário (diferença entre os juros captados pela instituição financeira e as taxas cobradas do consumidor).

Em abril, o CMN determinou que as instituições financeiras teriam que comunicar o cliente de que ele corria risco de não conseguir pagar a fatura e, apenas depois de 30 dias, poderiam diminuir o limite do cartão. Agora, em casos excepcionais, as instituições poderão reduzir o limite logo após informarem o consumidor.

De acordo com as novas regras, cada instituição definirá o prazo para a alteração e estabelecerá os critérios de excepcionalidade, segundo sua política de gerenciamento de riscos e crédito. Segundo o Banco Central (BC), a redução imediata ocorrerá apenas quando o banco constatar significativo risco do cliente dar calote.

Cleber Zanetti, professor de finança da IBE Conveniada FGV, explica que a medida visa maior segurança nas operações financeiras de crédito. “Com a redução, o consumidor gastará menos e, por consequência, se endividará menos. Assim, não comprometerá o crédito na ciranda financeira.”

Não deixe o cartão de crédito virar uma bola de neve

No início do ano o CMN também anunciou outras mudanças no cartão de crédito. Desde abril, as operadoras podem definir o valor mínimo das faturas, de acordo com o perfil do cliente e do seu relacionamento com a instituição. Antes, o mínimo era fixado em 15% do valor total para todas as instituições.

cartao-de-credito-novas-regras(1)

Para Zanetti, a dica mais preciosa é utilizar o cartão de crédito de forma consciente. “Planeje-se, programe suas compras e cuide bem de seus recursos. Finanças pessoais é algo sério. Qualquer deslize com a taxa atual pode significar a falência do seu orçamento”, conclui Zanetti.

Caso você já tenha dívidas no cartão de crédito, é preciso manter a calma e colocar em prática o planejamento financeiro. Lembre-se: o cartão é um meio de pagamento, não um dinheiro extra que está disponível para complementar a sua renda. Em cada compra, pense se você realmente precisa daquele item e em todas as parcelas que já estão na sua fatura. Assim, suas contas não viram uma bola de neve.

Fotos: Fotolia

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Gabriella Bertoni
Gabriella Bertoni
Repórter, produz matérias para o Finanças Femininas. Apaixonada por livros e por contar histórias, é recém-chegada em São Paulo e ainda está completamente perdida, mas adorando a cidade.
Fale comigo! :) gabriella@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

cadastro-positivo-verdades-e-mentiras-sobre-o-banco-de-dados

11 de novembro de 2019

Consumidor receberá notificação sobre a inclusão de suas informações no Cadastro Positivo. É possível sair do banco de dados. Leia mais.

vício-em-cartão-de-crédito-pode-arruinar-sua-vida-financeira

8 de novembro de 2019

O vício de compras parceladas no cartão de crédito pode te deixar com a conta no vermelho. Saiba como organizar sua vida financeira.

7-otimos-motivos-para-nao-emprestar-o-cartao-de-credito

25 de outubro de 2019

Emprestar o cartão de crédito pode deixá-la com o nome sujo e na malha fina da Receita Federal. Além de abalar as amizades. Saiba como fugir dessa cilada!

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas