Investir na bolsa de valores: o que são small caps e como investir

21 de fevereiro de 2018 - Por

small-caps 01

quem ama, compartilha!

Investir na bolsa de valores não é apenas olhar para as empresas gigantes, chamadas de blue chips. As small caps, ou ações de terceira linha, também merecem sua atenção se o objetivo for diversificar a carteira de investimentos e lucrar mais.

Para você ter ideia, no ano passado, o Índice Small Cap (SMLL) foi a aplicação mais rentável de 2017, tendo rentabilidade nominal (sem descontar a inflação) de 49,37%, segundo o jornal Valor Econômico. Apenas em segundo lugar veio o Ibovespa, com 26,86%. Ficou interessada?

A seguir, você vai aprender:

  • O que são small caps;
  • exemplos de small caps;
  • vantagens e desvantagens de investir;
  • quem deve (e não deve) investir em small caps;
  • riscos e liquidez;
  • como investir em small caps.

Afinal, o que são small caps?

“De maneira geral, são ações de empresas de menor porte quando comparadas com as empresas de grande porte da Bolsa”, explica Pedro Paulo Coelho Afonso, chefe de Operações da Gradual Investimentos.

Para você ter noção desse tamanho, alguns exemplos de blue chips brasileiras são Itaú Unibanco, Petrobras, Vale e Ambev – já consolidadas no mercado e com potencial de lucratividade mais previsível. Já entre as small caps estão Magazine Luiza, Laboratórios Fleury, Ser Educacional e Gol Linhas Aéreas – portanto, elas também podem ser companhias estáveis e com potencial de ganhos.

Em números: “O Itaú Unibanco tem uma capitalização de mercado de R$ 308 bilhões e as ações têm um volume médio de negociação diária de R$400 milhões. A IMC, dona das marcas Viena e Frango Assado, é uma small cap com capitalização de mercado de R$1,5 bilhão e volume médio diário de negociação de R$ 3,5 milhões”, exemplifica Marcia Valéria Scaramela, planejadora financeira CFP® pela Planejar – Associação Brasileira de Planejadores Financeiros.

Ou seja, elas não são exatamente empresas pequenas – elas apenas possuem menor capitalização de mercado. Por isso, acabam recebendo menos atenção do mercado e são mais voláteis em suas precificações, o que lhes confere uma capacidade de valorização maior.

Quais são as vantagens e desvantagens de investir nelas?

O fato de elas terem grande potencial de valorização é um dos maiores pontos positivos das small caps. Outra vantagem é que a investidora pode encontrá-las a um preço menor do que as de empresas maiores, permitindo comprar um lote padrão (um pacote com, geralmente, 100 ações) com menos dinheiro do que faria ao adquirir um lote de blue chips.

small-caps 02

“A investidora que compra small caps pode esperar uma rentabilidade dessas ações no médio e longo prazo. Uma vez que as ações são consideradas baratas, a tendência é que ela traga fortes rentabilidades, muitas vezes acima de 50%”, afirma Daniela Casabona, assessora financeira da FB Wealth.

Por outro lado, investir em small caps pode ser uma aventura muito mais inconstante. Isso porque são ações que apresentam maior risco e volatilidade quando comparadas àquelas mais consolidadas, além de terem menor volume de negociações na bolsa. Esses fatores diminuem sua liquidez – em outras palavras, pode ser muito difícil vendê-las caso haja uma grande queda.

“São empresas que costumam apresentar maior risco de mercado justamente por estarem em fase de amadurecimento em setores ainda não consolidados ou em fase de crescimento”, acrescenta Afonso.

De acordo com Anderson Pellegrino, professor de Economia da IBE-FGV, as small caps são especialmente sensíveis às variações do mercado, desde situações de estresse no mercado financeiro até a entrada de grandes fundos de investimento, e podem variar bruscamente de valor.

Porém, isso não precisa ser, necessariamente, visto com maus olhos: basta saber aproveitar. “Isso pode deixar as ações mais caras por um longo período ou mais baratas, neste último caso criando ótimas oportunidades de compra desses papéis”, pontua.

Para quem é aconselhado investir em small caps?

Por terem baixa liquidez, elas são mais indicadas para quem pode deixar o dinheiro investido em longo prazo – ainda maior do que nos casos de ações de blue chips. Ou seja, o ideal é que você não precise dessa grana dentro de um prazo de três a cinco anos e, se possível, esteja disposta a até mesmo perdê-la.

Como investir em small caps?

O processo é o mesmo de investir em ações, assim como os cuidados. No entanto, neste caso, você deverá prestar ainda mais atenção onde coloca seu dinheiro.

Não existe um valor mínimo para investir. Porém, fique de olho nos diversos impostos e taxas de corretagem – para valer a pena, é importante aplicar uma quantia que justifique bancar todas essas despesas. Saiba mais sobre as tarifas aqui.

Como escolher as melhores small caps?

Pesquise sobre a empresa, seu potencial de crescimento, o setor ao qual ela pertence e as oportunidades deste setor no País. Por exemplo, um dos motivos pelos quais as small caps terem crescido tanto no último ano foi a expansão dos setores ligados ao chamado consumo discricionário – de bens e serviços não essenciais –, aos quais pertence boa parte dessas ações.

“Eles foram os que mais sofreram durante a crise e, portanto, são os que podem apresentar maior crescimento de lucro no período de recuperação econômica. Ou seja, as small caps valorizaram bastante ano passado, mas foram as que mais sofreram durante a crise. Isso costuma acontecer recorrentemente”, diz Marcia.

Os especialistas dão outras dicas:

  • “O ideal é que haja uma maior diversificação na carteira de small caps e que se fique atento aos movimentos das empresas escolhidas”, orienta Daniela;
  • falando em diversificação, nunca coloque todo seu patrimônio em renda variável. É aconselhado que até 30% de seu dinheiro esteja nesse tipo de investimento e os demais 70% fiquem em renda fixa, que funcionam como uma garantia;
  • observe o SMLL, que tem como objetivo ser o indicador de desempenho médio de empresas small caps. “Aqui não são inclusos ativos de companhias em recuperação judicial, extrajudicial ou em regime especial de administração temporária, intervenção etc. Normalmente, são empresas interessantes e de boa qualidade”, indica Pellegrino;
  • na dúvida, escolha um bom gestor de fundo small caps. “O fato de ele estar grande parte do seu tempo analisando oportunidades, calculando os ganhos potenciais e estudando é interessante e mais seguro à investidora”, aconselha Marcia;
  • lembre-se de que small caps são investimentos em longo prazo.

Fotos: Fotolia

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Ana Paula de Araujo
Ana Paula de Araujo
Repórter, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) anapaula@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

bettina-ganhar-1-milhao-bolsa-de-valores

19 de março de 2019

Na propaganda, Bettina garante que transformou R$ 1.500 em mais de R$ 1 milhão em 3 anos investindo na Bolsa de Valores. Carol Sandler mostra o outro lado da história.

melhores-investimentos-bolsonaro-presidente-01

22 de novembro de 2018

Com Bolsonaro eleito, aplicações de renda variável, como bolsa de valores e alguns fundos de investimento, estão entre as melhores opções. Por que? Como aproveitar esse momento? Descubra!

ferramentas-investimento

27 de agosto de 2018

Quer investir mas não sabe por onde acompanhar como anda o mercado financeiro? Pois saiba que o primeiro passo é estar bem informada. Separamos 7 ferramentas úteis para te ajudar nessa empreitada. Confira!

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas