Mães solo (mãe solteira, não!): o guia definitivo de finanças e dinheiro

Mães solo (mãe solteira, não!): o guia definitivo de finanças e dinheiro

Recebemos muitos relatos das dificuldades financeiras que mães solo (por favor, sem essa de “mãe solteira”) enfrentam para criar seus filhos. Elas pechincham em cada oportunidade e fazem de tudo para dar uma vida melhor às crianças, mesmo muitas vezes sem poder contar com o genitor. Por isso, convocamos Carol Sandler, fundadora do Finanças Femininas e coach financeira, para dar suas melhores dicas de dinheiro para as mães autônomas de todo o Brasil.

Antes de começarmos, um aviso: chamamos de “mãe solo” ou “mãe autônoma”, e não “mãe solteira”, porque ser mãe não implica seu estado civil. A maternidade está acima disso. Além disso, “mãe solteira” é um termo carregado de preconceito e estigmas que essas mulheres sofrem por terem filhos fora de um relacionamento considerado padrão pela sociedade.

1) Procure uma rede de apoio

Conte com o suporte da família, amigos e vizinhos para cuidar dos seus filhos e te ajudarem a conciliar emprego, cuidados, atividades extras etc. Também existem diversos coletivos e grupos de apoio a mulheres no Facebook. Vale a pena entrar neles e pedir ajuda sempre que precisar – mesmo que seja para procurar um ombro amigo.

Essa dica é especialmente importante para mães solo de baixa renda, que sofrem com a falta de amparo do Estado, principalmente na questão da falta de vagas em creches públicas – que funcionam com horários restritos.

2) Tenha uma planilha e orçamento organizados

Organização é fundamental quando é preciso lidar com muitos gastos, mas há pouca renda disponível. A planilha também é útil nas questões legais, como para justificar o valor da pensão. Há quem funcione melhor com aplicativo, planilha no Excel ou o bom e velho caderninho.

Baixe aqui a planilha do Finanças Femininas para você controlar seus gastos de acordo com o método 50/30/20.

3) Crie uma reserva de emergência

Você precisa de um colchão financeiro para não ficar tão vulnerável e ter como arcar com imprevistos, como problemas na sua saúde ou na das crianças. O indicado é guardar 20% da renda líquida. Como? Começando aos poucos e ajustando o orçamento.

Se estiver difícil juntar essa grana, converse com sua família e peça que lhe ajudem mensalmente. Deixe claro que não é uma mesada, mas, sim, um empréstimo e que você pagará tudo certinho quando conseguir arrumar sua vida financeira.

Quer ver mais dicas? Então, assista o vídeo a seguir até o final, o qual Carol Sandler dá detalhes de como mães solo podem ter uma vida financeira saudável:

Gostou do vídeo? Clique aqui e veja muito mais conteúdo em nosso canal no YouTube!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Ana Paula de Araujo

Ana Paula de Araujo

Repórter, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) anapaula@financasfemininas.com.br

close