Mercado financeiro se anima depois de medidas contra o coronavírus nesta quinta (19)

19 de março de 2020 - Por

Mercado se anima depois de pacote contra coronavírus

quem ama, compartilha!

Esse texto faz parte da cobertura do Finanças Femininas para traduzir o que está acontecendo com o mercado financeiro durante a pandemia do coronavírus. Ajudamos você a se informar com uma linguagem simples, sem economês e sem pânico!

Ibovespa: +2,15% (68.331 pts)
Dólar: -1,80% (R$ 5,10 )
Casos de coronavírus: 621 confirmados e 6 óbitos (fonte: secretarias estaduais de Saúde). O Ministério da Saúde não atualizou o número de casos suspeitos que até o dia 18 de março eram 8.819.*

Quem estava ficando acostumada com a loucura dos dias anteriores pode até estranhar a dose de calmaria que tomou o mercado nesta quinta-feira (19). Vários fatores estão por trás disso. O primeiro deles foi o anúncio do Federal Reserve (Fed), banco americano dos Estados Unidos, que emprestará até US$ 60 bilhões para o Banco Central do Brasil – em um total de US$ 450 bilhões para outros oito países – entre eles Austrália, Coreia do Sul, México e Noruega.

O segundo motivo vem da Europa: o Banco Central Europeu anunciou um pacote de € 750 bilhões para dar liquidez aos mercados, o que ajudou as bolsas do continente a fechar em alta. O anúncio da decisão do Banco da Inglaterra de cortar a taxa de juros em 0,10 ponto porcentual também ajudou.

Na sequência, o presidente dos EUA, Donald Trump, fez um pronunciamento de que um remédio já usado para malária e lúpus – a hidroxicloroquina – pode ter bons resultados na luta contra o coronavírus. A afirmação foi feita com base em um estudo feito na China.

O objetivo é acelerar os testes, que serão feitos em pacientes em Nova Iorque, para que o FDA (Food and Drug Administration, órgão regulatório similar à nossa Anvisa) libere o uso em tempo recorde.

Por que você tem que saber? Se o FDA aprovar o uso do tratamento, temos uma ótima notícia no combate ao coronavírus. O mercado vê essas notícias com otimismo moderado. Ou seja, a queda das bolsas acabou atenuada, mas o momento ainda é de cautela – e isso se estende para a sua carteira de investimentos.

Como a quarentena pelo coronavírus está mudando a rotina dos funcionários e empresas?

Trabalhadores do Brasil inteiro precisam ficar atentos às medidas tomadas pelas empresas em relação à quarentena. Na quarta-feira (18), o governo federal anunciou um conjunto de medidas que flexibiliza as relações entre patrões e funcionários. Entre os destaques, empregadores poderão reduzir a jornada e o salário pela metade.

mercado-financeiro-se-anima-depois-de-medidas-contra-o-coronavirus-nesta-quinta-19

Esse pacote, chamado de Programa Antidesemprego, ainda não está valendo – ele ainda será enviado ao Congresso Nacional por meio de medida provisória. A MP precisa ser aprovada por deputados e senadores em até 120 dias para não perder a validade e, caso passe, terá vigência imediata.

Por que você tem que saber? Nem todos os empregos possibilitam home office. Se é o seu caso, é capaz que seu patrão proponha este acordo. De acordo com o Ministério da Economia, a negociação será individual – entre empregador e funcionário. Sua maior arma é saber quais são seus direitos.

Governo anuncia menos burocracia para quem depende do INSS

Novas medidas foram anunciadas pelo Ministério da Economia na tarde desta quinta-feira (19) para evitar que idosos, pensionistas e pessoas com deficiência precisem ir até as agências do INSS. Todos os serviços, antes presenciais, serão prestados remotamente. A perícia segue suspensa.

Outra parte do plano diz respeito ao Benefício de Prestação Continuada (BPC), que atende cidadãos de baixa renda. O governo pretende zerar a fila de pedidos novos e adiantar quem ainda espera a aprovação.

Além disso, o governo pretende bancar os primeiros 15 dias de afastamento do funcionário que apresentar coronavírus. Geralmente, esse pagamento fica por conta das empresas.

*Até o fechamento do texto

Fotos: AdobeStock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Ana Paula de Araujo
Ana Paula de Araujo
Repórter e produtora, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) anapaula@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

Coronavírus derruba a Bolsa nesta sexta

27 de março de 2020

As más notícias sobre o coronavírus chegaram do mundo inteiro, o que afetou a Bolsa e o mercado financeiro. E como isso vai te impactar? Veja aqui!

Projeção do PIB para este ano é de zero, segundo Banco Central

26 de março de 2020

Impacto do coronavírus na economia é grande. Além disso, 3,28 milhões de pessoas deram entrada no seguro-desemprego nos EUA. Tudo isso vai te afetar, sim; veja como

Apesar de crise política e coronavírus, bolsa tem alta

25 de março de 2020

Boas novas vindas dos EUA no combate ao coronavírus animaram o mercado financeiro, apesar do discurso de Bolsonaro na terça (24). Veja como isso te afeta.

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas