Mulheres na liderança promovem mais igualdade de gênero nas empresas

Mulheres na liderança promovem mais igualdade de gênero nas empresas

Nos últimos anos, o debate sobre a igualdade de gênero no mercado de trabalho cresceu e tomou proporções importantes para a inserção de mulheres em posições de liderança. Porém, quantas histórias de mulheres que chegaram à posição de CEO você conhece? Provavelmente ‘poucas’ em relação aos inúmeros casos de sucesso de homens na presidência de grandes corporações.

De acordo com a pesquisa Panorama Mulher 2018, da Talenses em parceria com o Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), as empresas com mulheres em cargos de presidência têm também mais mulheres em outros cargos de liderança. O levantamento revelou que, nesse cenário, as mulheres ocupam 34% dos cargos de vice-presidência, 45% das cadeiras de diretoria e 41% das funções dos conselhos.

Em compensação, quando é um homem que ocupa o cargo de CEO, os índices diminuem para 18%, 23% e 10%, respectivamente. Essa é a segunda edição da pesquisa, mas o levantamento não estabelece um comparativo com os resultados de 2017, uma vez que as amostras foram significativamente diferentes. Nesta edição, 920 organizações do Brasil responderam aos questionamentos, contra 339 do ano anterior.

“Até pouco tempo, as mulheres eram educadas para viver em função da família e a não demonstrar características como liderança, autoconfiança, autoestima e o empoderamento. Esses atributos, fundamentais para o crescimento do profissional dentro de uma empresa, foram tomados pelos homens, o que fez com as mulheres perdessem espaço”, comenta Dilza Taranto, Coach e consultora de RH.

Percentual de mulheres na liderança continua baixo

Ainda segundo o levantamento, apenas 15% das empresas consultadas têm uma mulher no cargo de presidência – em 2017, esse índice era de 8%. A incidência de presidentes mulheres é maior em empresas de capital fechado (17%) e administração familiar (28%). Isso também ocorre nos conselhos, com 18% formados por mulheres em empresas de administração familiar e 12% em empresas com administração profissional.

A situação do Brasil é pouco melhor em comparação a outros países: há mais mulheres na presidência (18%) com sede no País do que em empresas na Europa (13%) e o percentual é igual ao da América do Norte (18%).

“As empresas precisam se livrar dos estereótipos que vêm sendo perpetuados, como o de que mulheres são emocionais e homens são racionais. O questionamento e a superação de estereótipos é um processo que ainda se desenrola não só nas empresas, mas em todas as esferas da sociedade”, pontua Taranto.

igualdade-de-genero-mulheres-CEO(2)

Quanto maior a empresa, menor a quantidade de mulheres CEOs

A amostra de 2018 aponta que, quanto maior a empresa, menor a quantidade de mulheres CEOs. Entretanto, essa lógica não se aplica para outros cargos de liderança. Por outro lado, organizações com 50 funcionários ou mais são as que possuem o maior índice de mulheres na diretoria (42%).

Pelo menos 32% das empresas ouvidas no levantamento têm alguma política de igualdade de gênero, mas, mesmo assim, o percentual de mulheres na liderança não muda muito entre as empresas que têm ou não medidas pró-equidade: 17% das companhias que possuem políticas têm mulheres CEOs e 18% das que não possuem nenhum tipo de programa têm mulheres em cargos de presidência.

Em entrevista ao Meio e Mensagem, Regina Madalozzo, coordenadora do Núcleo de Estudos de Gênero do Insper, alertou que, junto com ofertas de mentoria, coaching e novos olhares sobre processos seletivos, as organizações precisam repensar as políticas adotadas para os funcionários em geral. Ela defende, por exemplo, que a licença maternidade e paternidade devem ser revistas, para que ambos passem tempo com a criança sem perder timing na promoção da carreira.

Fotos: Fotolia

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Você gostou desse conteúdo?

Gabriella Bertoni

Gabriella Bertoni

Repórter, produz matérias para o Finanças Femininas. Apaixonada por livros e por contar histórias, é recém-chegada em São Paulo e ainda está completamente perdida, mas adorando a cidade.
Fale comigo! :) gabriella@financasfemininas.com.br

close