Negociação com o banco: 5 dicas de como sair das dívidas de forma justa

26 de novembro de 2018 - Por

como-se-livrar-das-dividas(2)

quem ama, compartilha!

O fim do ano está próximo e já podemos começar a listar as resoluções para 2019. Se o seu maior desejo é entrar em janeiro com o bolso tranquilo e busca saber como sair das dívidas de uma vez por todas, essa matéria é para você! Porém, é preciso saber negociar com o banco para não entrar em uma fria maior ainda.

Principalmente para quem recebe o 13º salário, essa é uma ótima época para colocar as contas em dia e quitar especialmente as de juros maiores, como o cartão de crédito e o cheque especial. Mas, se você está enrolada com as dívidas e procura uma forma de negociar o pagamento da melhor maneira possível, prepare-se antes mesmo de ir à instituição financeira.

Confira o passo a passo para fazer uma negociação justa com o banco:

1 – Saiba o valor total da sua dívida e o CET

O primeiro item que você precisa ter em mente antes de partir para a negociação é o tamanho da sua dívida. Os bancos praticam taxas de juros altíssimas, o que faz com que seu débito aumente bastante e você nem perceba. Ao saber do valor exato e os juros totais cobrados,você poderá negociar com mais propriedade. O que você deve conferir é o CET: Custo Efetivo Total. Ele inclui os juros, impostos, taxas, etc.

“Para negociar com o banco, tenha compreensão da modalidade da dívida e os juros ali contidos. Lembre-se de que uma negociação não deve ser tratada como um novo empréstimo, mas sim como um prolongamento ou parcelamento, sem que haja legalidade para se cobrar novos juros remuneratórios da operação”, explica Donato Souza, especialista em auditoria bancária.

2 – Pondere sobre o quanto você pode pagar daqui para frente

Ao decidir renegociar a sua dívida, é preciso ter a certeza de que as novas parcelas cabem no seu bolso. De nada adiantará conseguir diluir o débito em um prazo maior ou, ainda, obter um bom desconto, se você não puder arcar com o valor depois dos primeiros meses. Você não deve comprometer mais do que 30% do seu salário com as parcelas da dívida.

“Reflita sobre a sua capacidade atual de pagamento. Negociar é uma decisão e, por isso, tem que ser feita com muita estratégia e cautela. Levantando o valor da dívida, a capacidade de pagamento, negociando juros e chegando a um acordo ganha-ganha, é a hora de fechar um trato que seja eficaz e eficiente para ambas as partes”, comenta Carlos Virtuoso, contador e educador financeiro.

como-se-livrar-das-dividas(2)

3 – Não aceite uma proposta que prejudique ainda mais o seu orçamento

Antes de entrar no banco para negociar com o seu gerente, tenha em mente qual tipo de proposta se encaixa melhor no seu orçamento. Jamais aceite um acordo que seja abusivo e que você não tenha condições de pagar.

“De maneira alguma, seja pessoa física ou jurídica, se deve aceitar uma renegociação que comprometa mais que 30% do rendimento líquido. Caso perceba que o banco está tentando desrespeitar este limite, informe ao órgão competente e, se for necessário, recorra ao Poder Judiciário”, aconselha Souza.

4 – Não acredite em tudo o que o gerente fala

Por mais simpáticos e prestativos os gerentes pareçam, é preciso tomar cuidado com o que eles falam. Lembre-se de que, dentre as funções deles na instituição financeira, está a de vender produtos bancários.

“Nunca ache que seu gerente é seu amigo. Eles trabalham para cumprir metas e o maior objetivo dos bancos brasileiros é manter seus clientes reféns, gerando um ciclo vicioso onde, muitas vezes, o final é o superendividamento”, alerta Souza.

5 – Mantenha o controle financeiro

Não é porque você conseguiu renegociar a forma de pagamento da sua dívida, ou mesmo o valor dela, que não é mais preciso cuidar do orçamento. Tome cuidado com as próximas compras, evite ir em busca de empréstimos e tenha atenção redobrada com o cartão de crédito e cheque especial.

Fotos: Fotolia e GIPHY.

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Gabriella Bertoni
Gabriella Bertoni
Repórter, produz matérias para o Finanças Femininas. Apaixonada por livros e por contar histórias, é recém-chegada em São Paulo e ainda está completamente perdida, mas adorando a cidade.
Fale comigo! :) gabriella@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

como-organizar-suas-dividas-e-sair-da-inadimplencia

24 de outubro de 2019

A primeira tarefa para pagar as dívidas é organizá-las. Com isso, você consegue ter uma noção dos seus débitos e montar um plano para quitá-los. Confira as dicas para ter uma vida financeira saudável.

10 de julho de 2019

Tente ao máximo não se enrolar pegando dinheiro emprestado, mas se não tiver jeito aprenda como proceder.

negativada-nome-sujo(2)

4 de setembro de 2018

É muito comum jovens começarem a vida adulta com dívidas contraídas por parentes e amigos em seus nomes. Mas isso pode ser extremamente perigoso para suas finanças. Confira!

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas