No divórcio, quem fica com a guarda dos pets?

6 de janeiro de 2016 - Por

divorcio-pet-guarda

quem ama, compartilha!

Tem um cachorrinho ou um gato com seu parceiro (a) mas a relação está chegando ao fim? Como resolver o impasse de quem fica com o animalzinho? As meninas do Iseparei falam sobre isso! 

Cada vez mais os animais de estimação, principalmente cães e gatos, estão ganhando espaço nos lares das famílias brasileiras. Muitos casais optam por ter filhos mais tarde, depois de uma estabilidade financeira, e para preencher o vazio do lar, adotam um cachorro, que muitas vezes é tratado como um filho. Os cães tomam banho toda semana, vão para creche, viajam com seus donos e muitas vezes dormem até na cama com o casal!

Mas o que acontece com o pet quando seus “pais” se separam? Quem fica com a guarda? Há direito de visitas? Pode-se estabelecer uma pensão para ele? Em muitos casos, o casal termina mal o relacionamento e parte para uma briga judicial para disputar a guarda do cão.  Recentemente, a disputa pela guarda na justiça aumentou e o maior problema na hora do julgamento é a falta de regras sobre essa questão.

Existe um projeto de lei em curso na câmara dos deputados que visa dar uma direção nesses casos e regulamentar a guarda dos animais, porém enquanto não existe uma legislação específica, a decisão fica à critério do juiz. Essas situações já são bastante frequentes, e normalmente a solução é a mesma dada aos filhos menores. É possível o acordo de guarda compartilhada, inclusive com previsão de férias e feriados alternados. Nos casos onde se é provado por quem o animal tem maior afeto e quem realmente cuida do animal, a guarda é dada à essa pessoa.

divorcio-guarda-pets
 

Lembrando que, claro, é preciso ter bom senso, o mais importante é o  e algumas questões precisam ser levadas em conta; quem tem mais condição de cuidar do pet, mais tempo disponível,  a qual dos dois o animal é mais apegado, quem ficará com uma casa maior, de quem era o pet antes do casamento e quem vai ficar com a guarda dos filhos ( normalmente os cães ficam junto com as crianças, para não causar mais esse sofrimento nelas e nos animais).

O ideal é o casal entrar em um acordo e compartilhar a guarda do animal, assim ele também não sofre e não sente falta dos seus donos.

Ficou com alguma dúvida? Escreva para gente! iseparei@gmail.com

A empresária Thais Mucher e a advogada Dra Eugênia Zarenczanski conversam diretamente com mulheres que estão passando pelo fim de um relacionamento. Além de dicas e reflexões que dão apoio emocional e conforto psicológico, trazem também conselhos legais para auxiliar de forma prática.

Gostou do nosso conteúdo? Então clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Fotos: Shutterstock

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

iSeparei
iSeparei
Vida que segue

Leia em seguida

produtos-importados-dicas-para-fazer-compras-online

14 de agosto de 2019

A grande variedade de produtos e os preços baixos incentivam as compras em sites chineses e norte-americanos. No ano passado, 23,1 milhões de brasileiros fizeram compras internacionais, segundo a pesquisa da Ebit, especializada em avaliar a reputação das lojas online. O chinês AliExpress é o favorito entre 51% dos consumidores brasileiros, seguido dos norte-americanos Wish […]

crediario-ainda-e-utilizado-para-parcelar-compras-indica-spc

8 de agosto de 2019

O crediário ainda é a opção favorita de 30% dos consumidores para o pagamento de compras, apesar da popularização do cartão de crédito. Esse dado é do levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). As instituições entrevistaram 805 pessoas que utilizaram o famoso carnê, boleto […]

independencia-financeira-violencia-domestica-feminicidio

7 de agosto de 2019

A independência financeira ajuda na luta contra a violência doméstica pois permite à mulher fazer mais escolhas. Carol Sandler explica essa relação.

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas