O coronavírus ainda vai impactar muito a economia: e agora?

1 de abril de 2020 - Por

O coronavírus ainda vai impactar muito a economia: e agora?

quem ama, compartilha!

Esse texto faz parte da cobertura do Finanças Femininas para traduzir o que está acontecendo com o mercado financeiro durante a pandemia do coronavírus. Ajudamos você a se informar com uma linguagem simples, sem economês e sem pânico!

Ibovespa: -2,81% (70.966 pts)

Dólar: +1,29% (R$ 5,26)

Casos de coronavírus no Brasil: 6836 confirmados e 240 óbitos (fonte: Ministério da Saúde)*

O avanço do coronavírus globalmente derrubou os humores da Bolsa, que seguiu o exemplo de outras bolsas do mundo e fechou em queda. Também batemos o novo recorde de dólar nominal: R$ 5,2621, o maior desde a criação do Plano Real.

As mais de 861 mil pessoas atingidas pelo vírus e mais de 42,3 mil mortes no mundo todo mostram que o inimigo é poderoso, justificando todo o impacto econômico causado.

A Casa Branca estima que o número de mortes pelo COVID-19 nos Estados Unidos fique entre 100 mil e 240 mil. Donald Trump, presidente americano, afirmou que o país terá “duas, três semanas muito duras, um inferno” pela frente.

Por aqui, pesquisadores de peso alertam sobre a subnotificação, ou seja, casos de infecção por coronavírus que não estão chegando às estatísticas. O médico sanitarista Claudio Maierovitch Pessanha Henriques, coordenador do Núcleo de Epidemiologia e Vigilância em Saúde da Fiocruz em Brasília, afirmou para o site The Intercept Brasil que “o número de infectados por coronavírus pode ser muito maior que 11 casos para cada confirmado.”

Por que você tem que saber? Porque, ao que tudo indica, ainda teremos um longo período de cuidados e complicações pela frente. Por mais que queiramos ser otimistas, essa é a hora de segurar os gastos e ficar atenta para fazer seus direitos valerem.

Governo anuncia R$ 51 bi para complementar salário de quem teve jornada reduzida pela crise do coronavírus

A medida foi anunciada nesta quarta-feira (1) pelo ministro da Economia Paulo Guedes. O objetivo é complementar o salário dos trabalhadores que sofreram a redução de jornada pela empresa. Segundo o Palácio do Planalto, o governo enviará uma medida provisória ao Congresso até quinta-feira (2).

O coronavírus ainda vai impactar muito a economia: e agora?

Lembrando que, como já comentamos na semana passada, o governo anunciou uma linha de crédito para as empresas pagarem o salário dos seus funcionários, contanto que não haja demissões.

Por que você tem que saber? Caso a MP seja aprovada e sancionada com agilidade, essa é uma ótima notícia notícia para as trabalhadoras que já viram (ou veriam) sua renda caindo bruscamente. Manteremos a notícia no radar para acompanhar seu andamento.

Preço dos títulos do Tesouro Direto chegaram a cair 24% em março

A crise causada pelo coronavírus bateu forte a renda fixa, especialmente o Tesouro Direto – que teve as negociações interrompidas diversas vezes. No mês de março, houve queda generalizada dos preços dos títulos públicos que estavam disponíveis para compra. Aqui, o destaque ficou para o Tesouro IPCA+ com vencimento em 2045, cuja perda foi de 24,34%. Já o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2055 apresentou queda de 15,32%.

Por que você tem que saber? O mercado financeiro tem um mantra que também vale para a renda fixa: só perde de verdade quem vende o título (ou qualquer outro ativo financeiro). Quem resgatou dinheiro no Tesouro Direto nessa época de queda viu seu retorno financeiro minguar. Por isso, se você puder segurar o dinheiro que tiver aplicado no programa, segure.

No Radar do Finanças Femininas:

  • Senado deve votar nesta quarta (1) a Renda Básica de Cidadania Emergencial (PL 873/2020), que garante auxílio de até R$ 1.500 para famílias de baixa renda durante a pandemia.
  • Jair Bolsonaro afirma que sancionará ainda hoje auxílio emergencial a informais, intermitentes e MEIs.
  • Projeto de Lei que adia pagamentos poderá sofrer alterações, de acordo com a senadora Simone Tebet (MDB-MS)

*Até o fechamento do texto

Fotos: AdobeStock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Ana Paula de Araujo
Ana Paula de Araujo
Repórter e produtora, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) [email protected]

Leia em seguida

Nova onda de COVID-19 e escândalo de bancos derrubam Bolsa nesta segunda (21)

21 de setembro de 2020

A nova onda de coronavírus nos EUA e Europa e suspeita de lavagem de dinheiro em bancos globais fizeram um grande estrago na Bolsa. Entenda.

Bolsa cai aos 98 mil pontos, mas semana fecha perto do zero a zero

18 de setembro de 2020

A Bolsa foi arrastada pela onda negativa dos índices globais, mas conseguiu fechar a semana empatada. O que houve? Saiba tudo que rolou nesta sexta-feira (18)!

Bolsa se descola de perdas internacionais e fecha em leve alta

17 de setembro de 2020

De ressaca da decisão do banco central dos EUA, bolsas do mundo inteiro caíram, menos do Brasil. Descubra quais ações salvaram a pátria!

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas