O que mudou no cálculo da poupança?

12 de setembro de 2017 - Por

poupanca_calculo

quem ama, compartilha!

Você já deve ter ouvido falar que algo mudou na forma de calcular a rentabilidade da poupança. Essa alteração ocorreu após a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, na semana passada, de levar a taxa básica de juros da economia, a Selic, a 8,25% ao ano. Neste texto você entende como funciona o novo cálculo e como ele afeta o seu bolso. Confira.

Como fica a rentabilidade da poupança?

Desde 2012, o cálculo da poupança segue uma regra que muda sempre que a Selic atinge 8,5% ao ano. Assim, existem dois cenários possíveis:

  • quando a Selic está igual ou acima de 8,5% ao ano a caderneta rende 6,27% ao ano + Taxa Referencial (TR);
  •  quando a Selic fica abaixo de 8,5% ao ano a caderneta passa a render 70% da Selic + Taxa Referencial (TR).

Como a queda da Selic reduz diretamente a rentabilidade de diversos investimentos em renda fixa, essa regra foi criada para evitar que a poupança passasse a render mais do que outros ativos – inclusive os títulos públicos – e dificultasse a captação de recursos por parte do governo.

poupanca_calculo_interna

E como isso afeta meus investimentos?

Quando chegou a 8,25% ao ano na semana passada, portanto, a taxa básica de juros ativou o gatilho que altera a rentabilidade da poupança, e essa passou a valer menos: 5,77% ao ano + TR. Mesmo com o retorno menor, entretanto, isso não significa que a investidora deva abandonar completamente a poupança – não sem antes fazer as contas. E há dois principais motivos para isso.

Primeiramente, é preciso considerar que a caderneta continua com ganhos superiores à inflação – já que o IPCA medido em agosto para 12 meses ficou em 2,46% – e, por isso, ainda vale para formação de reservas de emergência. Além disso, diversos investimentos em renda fixa são impactados pela queda da Selic – o que significa que também estão com resultados menos atrativos. Assim, o único jeito de saber qual aplicação está realmente valendo mais a pena é fazendo as devidas comparações.

Leitura complementar

Investimento para iniciantes

Investimento para iniciantes

Ver mais

Simulações feitas pela Anefac, por exemplo, mostram que a poupança continua mais vantajosa do que os fundos de investimento em diversos cenários, principalmente quando a taxa de administração ultrapassa 1%. A poupança hoje só perde para os fundos independentemente do prazo quando a taxa for inferior a 0,5% ao ano.

Mas claro: isso não significa que você não possa fazer negócios muito mais interessantes do que a poupança com outros produtos conservadores, como Tesouro Direto, CDBs, LCIs e fundos DI. No Tesouro Selic, por exemplo, já é possível ultrapassar a rentabilidade da caderneta com investimentos superiores a 1 ano. Da mesma forma, é possível encontrar LCIs com rendimento próximo a 90% do CDI.

O mais importante nessa escolha é entender qual será o desempenho de cada produto, considerando os seus objetivos, a rentabilidade oferecida, prazo de resgate, taxas cobradas e tributação. Só a partir dessa análise você poderá tomar a melhor decisão para o seu bolso.

 

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Mariana Ribeiro
Mariana Ribeiro
Jornalista com sotaque e alma do interior. Longe das finanças, passa o tempo atrás de música brasileira, rolês baratos e ônibus vazios. Acredita que o mundo seria outro se as pessoas tentassem se ver.
Fale comigo! :) mariana@financasfemininas.com.br

Leia em seguida

vale-a-pena-aplicar-sempre-no-mesmo-titulo-do-tesouro-direto

20 de agosto de 2019

Você já sabe que é importante investir todos meses para ter bons rendimentos no futuro. Contudo, muitas investidoras de primeira viagem ficam na dúvida se devem aplicar seu dinheiro sempre no mesmo título do Tesouro Direto, ou arriscar e investir em outra modalidade. Se você segue o modelo de orçamento 50/30/20, utilizado pela Carol Sandler […]

17 de julho de 2019

A rentabilidade é uma dúvida frequente das investidoras, mas agora que você sabe o que é CDB, LCI, LCA, CDI, e também já aprendeu tudo sobre Tesouro Direto e Tesouro Selic, chegou a hora de descobrir como comparar a rentabilidade do seu investimento. O primeiro ponto a entender é que enquanto o Tesouro Selic e […]

11 de julho de 2019

Você decidiu fazer um investimento em renda fixa, mas está confusa com a sopa de letrinhas de CDB, LCI e LCA? Calma! Não fique apavorada, porque é muito fácil e vamos te ensinar tudo que você precisa saber para investir. A renda fixa é uma aplicação segura e o primeiro passo para quem deseja embarcar […]

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas