O sistema do cartão caiu na hora do pagamento. E agora?

20 de setembro de 2017 - Por

proteste_cartao_sem_sistema

quem ama, compartilha!

* Clara Matos

Hoje em dia é muito raro andarmos com dinheiro na carteira, justamente pela praticidade de realizar o pagamento em cartão e até mesmo pela segurança. Porém, já imaginou estar em um restaurante e na hora de pagar a conta ser informada de que o sistema caiu? Ou, ainda, estar em uma loja e, depois de experimentar várias roupas e escolher as peças desejadas, não conseguir pagar no cartão devido ao sistema inoperante? Já passou por uma situação assim? Então, saiba o que fazer.

Seus direitos

Nesses casos, fique tranquila, pois o estabelecimento deve responder pela reparação dos danos causados aos consumidores por falhas na prestação do serviço, independentemente da existência de culpa, conforme diz o artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor.

Além disso, o CDC, em seu artigo 42, também estabelece que na cobrança de débitos, os consumidores não podem ser expostos a ridículo nem sofrer qualquer tipo de ameaça ou constrangimento.

Nessa situação, o consumidor não é obrigado a pagar em dinheiro, caso não tenha a quantia ou não possa dispor dela. Isto porque se a loja aceita o cartão como meio de pagamento, deve encontrar uma solução para o problema e de forma alguma pode pressionar o cliente.

Se isso acontecer com você

Você não pode ser obrigada a assinar um termo promissório, informar seus dados pessoais e muito menos deixar algum documento como garantia de que você vai voltar para pagar. Exigir isso do consumidor contraria o princípio da boa-fé e é considerada uma prática abusiva, de acordo com o artigo 51, IV do CDC.

O ideal é que o estabelecimento ofereça outra forma de pagamento e, caso não haja uma segunda opção, o comerciante pode negociar uma alternativa viável, como aguardar que você vá ao caixa eletrônico mais próximo para sacar o dinheiro ou fazer um depósito, por exemplo.

proteste_cartao_interna

Deve haver um consenso entre cliente e empresa e se esta não aceitar outro meio de pagamento estará descumprindo o artigo 39, II e IX do CDC. Por isso, é necessário saber argumentar.

O lojista só fica isento de qualquer prejuízo se ele informar ao cliente que o sistema está indisponível, assim que ele chegar ao local. Sabendo do problema, o consumidor opta se entra ou não e se responsabiliza sobre como pagará a conta. Caso não haja esse aviso ou a falha for constatada enquanto o consumidor já estiver consumindo ou utilizando determinado serviço, ele não poderá ser obrigado a pagar.

Foi prejudicada? A PROTESTE pode te ajudar!

Você já conhece o Reclame da PROTESTE? A maior associação de consumidores da América Latina oferece a todos um canal online para envio de reclamações. Nele, você pode encaminhar o seu caso diretamente para a empresa ou contar com o apoio dos especialistas em Defesa do Consumidor. Dessa forma, fica muito mais fácil resolver seus problemas de consumo. Acesse o site e faça a sua voz impor respeito!

* Clara Matos é do Serviço de Defesa do Consumidor da PROTESTE

 

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Financas Femininas
Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

Leia em seguida

black-friday-trocar-compras(2)

22 de novembro de 2018

Quem nunca se arrependeu de uma compra, principalmente na Black Friday? Mas nem sempre dá para trocar ou cancelar a compra. Advogada especialista da NeoLaw conta quais são seus direitos ao desistir de uma compra.

despachar-bagagem-passagens-mais-baratas-anac-oab 01

29 de junho de 2018

Há um ano, quem quer despachar bagagem precisa pagar – e, ao contrário da promessa, isso não deixou as passagens mais baratas. Por que? Veja como economizar.

direitos-do-consumidor-ganhar-dinheiro

29 de maio de 2018

Você sabia que cobranças indevidas devem ser devolvidas em dobro? Esse é apenas um dos direitos do consumidor ignorados, veja mais.

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas