Planejamento da vida financeira a dois!

27 de fevereiro de 2013 - Por

quem ama, compartilha!

A partir do momento que você disser sim e trocar as alianças, entra na seriedade e no dia a dia aquela frase popular: “Tudo que é seu, é meu. E tudo que é meu, é seu”. É claro que existem diferenças entre os diferentes regimes de bens, mas ao decidir se casar, você decide também dividir a vida – e o dinheiro faz parte disso. Isso pode ser algo gostoso, cheio de intimidade e planos para o futuro, ou pode dar em várias brigas – e até ameaçar o casamento. Aprenda como lidar com essa situação com as dicas de Mauro Calil, educador financeiro.

Para os que vão se casar…

É o momento em que os casais precisam ter muita reflexão. “Ao programar e organizar uma festa, o casal tem que ter em mente que aquilo será uma alegria passageira. Por mais que a festa seja incrível, só vai durar algumas horas. O investimento feito nisso vale mesmo a pena?”, questiona Mauro Calil.

Realmente, os noivos tem que sentar juntos e decidirem quais serão os detalhes essenciais da festa. Lembre-se que uma cerimônia e festa de casamento podem ser gastos importantes neste momento de vida. Este valor pode ser investido em outra forma, como a compra de um imóvel, um bem durável.

Assim que listarem todos os serviços escolhidos (não esqueça a lua-de-mel), os noivos precisam verificar quanto irão gastar de fato na festa. A partir desta decisão precisarão economizar o dinheiro e ir pagando cada detalhe. Funciona como um parcelamento invertido, só que sem juros e sem uma financiadora.

Eu não recomendo em hipótese alguma fazer um financiamento da festa. Não se esqueça que em cima desse valor serão cobrados juros altíssimos que aumentam – e muito – o valor final“, orienta o consultor.

Tire da sua lista o que o Mauro chama de tolices financeiras, que são aqueles gastos desnecessários e que vão ficar esquecidos no tempo. Lembrancinhas? Garrafas d’água personalizadas? Bem casados? É você que decide o que é fundamental e o que pode ser substituído. De forma criativa, escolha outras maneiras para driblar estes gastos.

Regimento do casal

Em todo casamento é necessário definir qual será o regime de bens do casal. Nessa hora é preciso deixar o sentimentalismo de lado e assumir uma postura racional, para não ter problema no futuro. “A melhor coisa antes de casar é fazer um acordo pré nupcial e se casar com separação total de bens“, orienta Mauro Calil.

Por mais que confie no seu noivo e que acredita que não vão ter problemas futuros, há riscos ao aceitar a condição parcial de bens. “A condição mais usada no Brasil é a parcial de bens. Mas ela só serve para aumentar a garantia dos credores. Ou seja, se o seu marido quebrar, os seus bens entram na garantia dele“, complementa o consultor.

Para os recém casados…

A partir de agora, a renda do casal é uma só. “Esse negócio de separar as coisas é um problema!”. A melhor saída é que os dois saibam quanto ganham e qual é a renda mensal da família. É preciso muita organização e conversa para conseguir fazer o planejamento mensal.

O ideal é que os dois sentem, façam uma planilha de gastos e decidam qual será o destino do dinheiro. “Para pagar as contas tem três opções básicas: Escolher o que cada um paga, ter um caixa comum e uma pessoa responsável pelo pagamento de tudo ou dividir os gastos meio a meio“, diz Calil. A partir da planilhas, os dois devem acessar e acompanhar os gastos.

Para manter uma privacidade básica…

Se não quiserem ter conta conjunta, tudo bem. O mais importante para o casal é que juntos decidam qual será o destino final do dinheiro. E não é por isso que podem ficar controlando o gastos do parceiro. Escolham se vão ter uma semanada ou mesada e os valores para gastos pessoais. O dinheiro do lazer do casal é uma decisão a parte e deve ser estipulada junto dos gastos mensais e fixos.

Em casos que um ganhe mais que o outro, pensem qual é a melhor forma de lidar com o dinheiro. Por exemplo: ela tem uma renda de R$ 40 mil e ele uma renda de R$ 3,5 mil. Ela paga as contas e ele investe o dinheiro do salário para o patrimônio dos dois. Façam isso numa boa e com muito diálogo.

E você, como faz a separação do dinheiro com seu parceiro, tem algum segredinho especial? Conte pra gente!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

carolinaruhman
Carol Sandler
Carol Sandler é fundadora do Finanças Femininas, a maior plataforma online do Brasil de empoderamento feminino através da educação financeira. Apresenta o quadro "Carol, cadê meu dindin" semanalmente no programa SuperPoderosas, da TV Band. Autora do livro "Detox das Compras (Saraiva, 2017) e coautora do livro “Finanças Femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015), junto com o economista Samy Dana. Estudou Jornalismo na PUC-SP e Economia e Relações Internacionais no Institut d’Études Politiques de la France, em Paris. Colunista do site da revista CLAUDIA e do portal Tempo de Mulher.

Leia em seguida

14 de junho de 2019

Temos o preconceito de achar que só porque ela trabalha em casa, tem uma vida de princesa. Engano seu! Veja quanto custaria se não tivesse uma pessoa para cuidar de tudo!

casar-morar-sozinha-orçamento(2)

29 de outubro de 2018

Estar casada significa ter gastos em dobro? Antes de decidir casar, é preciso colocar as contas no papel e buscar formas de equilibrar o orçamento da família. Veja algumas dicas!

casal-triste

25 de abril de 2018

Tudo parece fluir bem, até seu parceiro perder o emprego e tudo sobrar para você. Mas sem pânico, a Carol Sandler te ensina o que fazer nesta hora. Confira!

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas