Quem deve ser fiel: você ou o banco?

13 de fevereiro de 2014 - Por

quem deve ser fiel: você ou o banco?

quem ama, compartilha!

Quando o assunto é dinheiro, encontrar pessoas com pensamento conservador é muito mais fácil do que pessoas com posturas mais ousadas. Exemplo nítido disso é a liderança disparada que a caderneta de poupança tem na preferência de investimentos, muito à frente de produtos que poderiam ser mais vantajosos em termos de retorno da aplicação.

Mas em situações em que você precisa negociar, será que vale a pena manter a postura de conservadorismo? Muitas mulheres acabam optando por contratar produtos diretamente com o banco no qual possuem conta bancária, seja pela falta de iniciativa de pesquisar outras opções, seja por fidelidade ao banco, na esperança de conseguir condições melhores.

Veja bem, neste caso é melhor pensar na sua ligação com o banco como um relacionamento: a partir do momento em que a instituição tem a certeza e segurança de que você não a deixará, pouco esforço precisará fazer para te conquistar. Sendo assim, encontra espaço para lhe empurrar juros altos e taxas de administração pouco interessantes.

Por outro lado, se o banco tem a ciência de que você não está segura para contratar o serviço que for, seja um financiamento ou empréstimo, ele vai “suar a camisa” para te convencer que aquele é o melhor lugar para você conseguir o que precisa. Desta forma, com certeza a instituição acaba mostrando-se mais flexível e disposta a lhe oferecer condições melhores.

quem deve ser fiel: você ou o banco?

O que é importante avaliar

Na hora de fazer a pesquisa das condições oferecidas por cada banco, avalie inicialmente se você deseja pagar com juros pré ou pós fixados. Na primeira opção, você saberá exatamente qual a taxa de juros deverá pagar. Já no segundo caso, os juros são menores, mas são influenciados também pela Taxa Referencial, que varia de acordo com taxa básica de juros.

Definido qual o melhor modelo para você, é preciso avaliar ainda os outros custos inclusos. Enfim, o importante é que você tenha certeza de qual é o Custo Efetivo Total (CET) do produto que você pretende adquirir.

Olhando por essa ótica, dá para perceber que nem sempre o banco no qual você possui conta é o que vai te oferecer melhores condições. Tenha sempre em mente, com variedade de opções no mercado, você sempre terá melhores condições de negociação.

 

E você, o que avalia antes de adquirir um produto no banco?

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Financas Femininas
Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

Leia em seguida

dinheiro-com-amigas

18 de julho de 2019

Nós, mulheres, ainda temos dificuldade de conversar sobre dinheiro com amigos. Porém, falar em voz alta sobre o que deseja pode te ajudar a determinar se eles são uma boa ideia ou não.

9 de julho de 2019

Você até promete que vai guardar dinheiro este mês, mas acaba gastando tudo? Segundo uma pesquisa, esse hábito pode ser o culpado. Descubra qual é.

desperdicio_casa

4 de julho de 2019

Pequenos hábitos de desperdício podem fazer uma grande diferença no orçamento doméstico. Confira se você gasta dinheiro em casa sem notar.

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas