Saia do cheque especial usando juros baixos

30 de setembro de 2015 - Por

emprestimo-pessoal-baixos-juros

quem ama, compartilha!

Este é um post publicitário da Lendico.

publipost
Manter suas contas pagas em dia, com o custo de vida como está, não tem sido fácil, não é verdade? A inflação já acumulou alta de 9,5% em 12 meses, a taxa básica de juros do país acumula 14,25%, o dólar está subindo em patamares assustadores e, mesmo se você não tiver intenção de viajar, a alta interfere diretamente no preço dos produtos no supermercado.

Em meio a tanta turbulência, o orçamento estoura e quando você menos espera já está usando e devendo o cheque especial. O instrumento pode até ser prático para usar, afinal, o limite é pré-aprovado pelo banco e não há necessidade de consultar gerentes ou lidar com burocracia. Assim que o seu saldo acaba, o banco libera o crédito para ser usado.

Na hora de quitar suas contas, parece um alívio. Mas você já colocou na ponta do lápis o quanto custa essa praticidade? As taxas de juros praticadas no cheque especial estão entre as mais caras do país, atrás somente do cartão de crédito.

De acordo com dados do Banco Central, em um ano os juros do cheque especial podem chegar a 247%. Por mês, são 10,7% de juros. Não dá para manter a vida financeira organizada sem livrar-se de uma dívida com taxas tão astronômicas.

dividas-emprestimo

Para colocar a vida em ordem e acabar com uma dívida, é preciso fazer um planejamento. Em primeiro lugar, liste detalhadamente suas dívidas, tanto as grandes quanto as pequenas. Dê prioridade para pagar as pendências mais caras, ou seja, aquelas com taxas maiores. Faça uma pesquisa antes de transferir a sua dívida, avaliando como fica o CET (Custo Efetivo Total), que engloba todas as taxas e encargos com os quais você precisa arcar.

Neste sentido, vale a pena fazer uma simulação no site da Lendico. A plataforma permite que você simule de um modo bem simples, apontando qual a quantia é necessária, o objetivo do uso do dinheiro e o valor das parcelas, comparando com as parcelas que são praticadas pela concorrência. A empresa oferece CETs entre 39,8% e 71,2%, dependendo do objetivo do crédito. Por mês, as taxas ficam entre 2,83% e 4,59%. Tomar um empréstimo mais barato para quitar uma dívida cara é um modo de reorganizar sua vida financeira, tendo em vista que você assume parcelas que efetivamente cabem em seu bolso.

Coloque em ordem também as suas despesas, lembrando que neste momento os gastos com compras e lazer devem ficar em último lugar. No momento em que estiver organizando suas despesas, você verá onde está gastando mais e como pode diminuir estes gastos.

Depois de fazer esta organização, compare quanto você ganha com as despesas que você tem por mês. O objetivo é fazer com que a diferença não fique negativa. Corte as despesas que ainda estiverem te deixando com o orçamento no vermelho e tome o empréstimo com o menor custo. O valor deve ser usado para quitar suas dívidas mais caras. Depois de ter feito todo este processo de reorganização financeira, tudo que você tem a fazer é pagar as parcelas em dia.

Use esta situação como aprendizado. Depois de livrar-se da dívida cara e pagar o empréstimo, o objetivo é que você encare toda este processo como um meio de repensar seus hábitos financeiros e evitar novos endividamentos.

Fotos: Shutterstock

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande um e-mail!

quem ama, compartilha!

Financas Femininas
Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

Leia em seguida

cadastro-positivo

10 de abril de 2019

Agora, todos serão automaticamente incluídos no Cadastro Positivo do Serasa, SPC e afins. Seus dados estão seguros? Quais são as vantagens? Descubra!

consumismo-consumo-divida-leitora-financas-femininas 01

27 de março de 2019

Por causa do consumismo, ela causou um grande estrago em seu orçamento. Como ir da absoluta falta de controle ao comando sobre sua grana? Nossa leitora conta como fez!

investir-ou-quitar-dividas

18 de março de 2019

Você quer investir, mas tem uma dívida pendente. É melhor quitar a dívida ou aplicar essa grana? Se você errar, pode arruinar seu bolso! Veja a resposta.

SIGA O INSTAGRAM @financasfemininas